Repressão no Rio
Manifestantes são presos no Rio. Mastros de bandeiras são tomados e protesto segue na capital fluminense, sob forte cerco da PM, que já proibiu carros de som na última semana
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Reprodução
Militante preso pela PM | Foto: Diário Causa Operária

O companheiro Henrique Simonard foi preso esta tarde pelas forças de repressão do estado do Rio de Janeiro, durante os atos contra o regime golpista de Jair Bolsonaro, ocorridos na capital fluminense. Além de Henrique, os policiais levaram também outro manifestante por portar uma tesoura infantil sem pontas. O companheiro, segundo informações do próprio, foi encaminhado à 21ª delegacia da Polícia Militar.

Cerca de 40 manifestantes se reuniram em frente ao monumento Zumbi dos Palmares, próximo à Central do Brasil, por volta das 14h, sob vigilância de forte aparato policial. O ato, convocado pelas direções das torcidas organizadas, tiveram destacada presença de militantes do PCO, dos comitês de luta e da Casa Nem.

Em forte contraste com a passividade verificada nos atos dos fascistas, que na Rio foram à Copacabana portando ostensivamente toda sorte de armas, presentes relatam que a PM fez revista em cada um dos manifestantes, tendo tomado mastros  para as bandeiras. Rasantes de helicóptero foram usados numa tentativa de intimidar os manifestantes.

Mesmo sob forte intimidação e repressão, o protesto seguiu até cerca de 15:30. Os manifestantes presos foram liberados posteriormente. Protegidos pela polícia, nenhum fascista presente no ato de Copacabana sofreu qualquer tipo de sanção.
Abaixo, os vídeos divulgados pelos companheiros:

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Relacionadas