Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
midia-indoor-wap-mst-movimento-dos-trabalhadores-rurais-sem-terra-reforma-agraria-violencia-campo-latifundio-apropriacao-invasao-militantes-marcha-1429548263818_1024x769
|

Da redação – O governo que foi imposto pela fraude eleitoral com um fascista à frente da presidência da República, Jair Bolsonaro, enviou documento nessa quarta-feira (27) às superintendências regionais do Incra para que suspendesse a Reforma Agrária.

Carta do general João Carlos de Jesus Corrêa determina a “expressa suspensão” das vistorias em imóveis rurais que poderiam ser desapropriados para criar novos assentamentos.

Essa, portanto, é a segunda vez no ano que o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária paralisa tal atividade. Três dias após sua posse fraudulenta, Bolsonaro já havia suspenso a reforma agrária, mas voltou atrás por causa da pressão popular.

Trata-se de um violento ataque contra os trabalhadores rurais sem terra, paralisando o já defasado processo de entrega de terras para que nelas os camponeses possam trabalhar, produzir e viver. O movimento sem terra deve se organizar, mais do que nunca, para impor sua política, ocupar os latifúndios, criar comitês de autodefesa e contra o golpe no campo, unir-se ao movimento popular contra Bolsonaro e pelo estabelecimento de um governo operário, que realize uma verdadeira reforma agrária que exproprie o latifúndio.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas