Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
FOTO-DIVULGAÇÃO
|

Cerca de sete mil mestrandos e doutorandos de Minas Gerais estão sem receber bolsa para pesquisa desde o mês de junho. O que tem causado o trancamento do curso por parte de muitos pós-graduandos. A Fapemig (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais), assim como os órgãos de fomento de outros estados, não permite vínculo empregatício como pré-requisito para concorrer às bolsas. O que impossibilita a busca de outras alternativas por parte dos estudantes.

As maiores crises orçamentárias da área de educação e outros serviços públicos têm sido cada vez mais profundas desde o mês de dezembro, de 2016, com a aprovação da PEC 55, conhecida como PEC do fim do mundo, por congelar investimentos públicos do país durante 20 anos. A partir desse período aulas chegaram a ser suspensas nas universidades estaduais do Rio de Janeiro e professores pós-doutorados ficaram meses sem receber, até a manutenção de higiene de universidades como a UERJ foi afetada. Universidades estaduais do Paraná passaram por situação muito similar, incluindo cancelamento de aulas. A Universidade de Brasília anunciou em abril do presente ano que até agosto centenas de funcionários seriam demitidos e bolsas diminuídas para evitar o fechamento de toda a universidade, disse a decana de planejamento na época. No mês seguinte, em São Paulo, a Unifesp cortou quase mil bolsas de auxílio à permanência dos graduandos, aumentando profundamente o índice de evasão.

O Golpe de Estado vigente no Brasil é imperialista, como é de esperar desses golpes, o Banco Mundial no primeiro trimestre desse ano, emitiu a cartilha da privatização total do ensino brasileiro. É regra de todo golpe impedir o repasse de verbas para sucatear, deixar morrer e depois os golpistas aparecem em seguida como a grande solução. Estamos vivenciando esse processo de maneira mais intensa em Minas Gerais. Onde os golpistas estão dando cotoveladas em Fernando Pimentel (PT) até que ele caia. E assim, os mineiros terão um amargo Michel Temer, no caso, Antônio Andrade, para facilitar a privatização do ensino no estado. Esse processo já ficou mais claro quando a “privataria tucana”, ou melhor, quando o PSDB junto com o MDB, em junho, conseguiram com o TCE-MG liminar proibindo empréstimo para realizar o pagamento dos servidores públicos.

A única forma de derrotar o Golpe é todos os setores afetados, todas as categorias de trabalhadores e estudantes, contribuírem com a construção de uma grande mobilização popular. Uma etapa importante para organizar essa mobilização é a Conferência Nacional Aberta de luta contra o Golpe, nos dias 21 e 22 de julho, em São Paulo. A Conferência contará com demandas de todos os estados e terá como resultado um programa e plano a nível nacional para derrotar o Golpe.

 

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas