Universidades falidas: instituições não podem usar dinheiro que elas arrecadam para se financiar

sucateamento

Os serviços públicos brasileiros, por causa da PEC da morte, estão com os gastos congelados por 20 anos, tendo essa política um impacto avassalador sobre o ensino público superior. As universidades estão sendo muito afetadas, pois com os gastos congelados e as contas e despesas aumentando, o caos chega ao ponto de não haver mais dinheiro para pagamento de serviços de limpeza por exemplo.

A PEC da morte, que utilizava o pretexto da crise financeira, acaba por limitar o aumento nos serviços mesmo com uma maior arrecadação, mostrando que é uma política feita com o objetivo de privatizar. A Universidade de Brasília (UnB) passa por um problema grave, onde mais de mil estagiários foram demitidos, bolsas cortadas, salários de privatizados atrasados e impossibilidade de utilizar de sua própria arrecadação para resolver seus problemas. Os recursos da UnB estão sendo utilizados para outras funções, como o combate a Febre Amarela e a Intervenção Militar no Rio de Janeiro, tudo isso revolta a comunidade acadêmica que já ocupou a Reitoria por mais de um mês e agora está se mobilizando em um greve.

O golpe de Estado visava atacar os principais setores da economia brasileira e do Estado para entregar todos os recursos para o Imperialismo, assim as universidades públicas, setor que tem um orçamento volumoso são alvos dos saques dos golpistas. Nesse sentido, lutar pela universidade vai colocar todo o movimento em um embate com o golpe.