Unesp suspende vestibular do meio do ano: golpistas sucateiam universidade para privatizá-la

a

A mercantilização do ensino superior, que aumenta cada vez mais com o golpe de Estado e a continuidade dos governos tucanos em São Paulo, faz com que as universidades sejam colocadas em risco, sucateamento, congelamento de salários e o crescente aumento das universidades privadas, justamente para entregar todo o ensino superior aos tubarões capitalistas.

A crise de sucateamento em conjunto com o não pagamento do 13º salário, a falta de contratação de novos funcionários, congelamento das obras de infraestrutura já em andamento abrange as universidades públicas como USP, Unicamp e Unesp.

Isso fez com que a Unesp anunciasse a suspensão do vestibular do meio deste ano.

Essa é uma política da direita neoliberal, que as sucateia, as abandona transformando em cenário de caos e destruição, para depois alegar que precisa privatizar fazendo a política do descaso.

Não podemos esquecer que a política de desmonte público se acirra no governo de FHC quando da criação da DRU (Desvinculação da Receita da União) estipulando 20% de desvinculação e no governo golpista de Michel Temer aumenta para 30% de desvinculação da dívida pública  para pagar juros e amortização da divida pública beneficiando os Bancos como Itaú, sendo que a D.R.U nunca foi auditada, o que fica fácil de concluir que todo dinheiro público arrecadado da Seguridade Social que deveria ir para a saúde , creches e escolas é desviado para os rentistas. É bom recordar que Michel Temer golpista gastou 110 milhões do orçamento público pra fazer propaganda ( SBT, Record, Facebook e Rede Globo) a favor da reforma da previdência, podendo ter investido em creches, escolas e hospitais. Os reitores das três instituições de ensino temem que o repasse do   ICMS possa diminuir ainda mais este ano.

Fácil de observar os servidores estão se levantando contra a politica de desmonte do governo ilegítimo de Bolsonaro. O governo se recusa a pagar o salario do trabalhador porque entende que recebem salario acima do teto. Isso é uma mentira deslavada para não revelar o verdadeiro motivo da escassez de verba que é os desmonte dos cofres publico.

A imprensa golpista diz ser a UNESP a maior  responsável pela irregularidade , alegando que paga super salários. E quem paga o “pato”são os servidores , os estudantes que ficam sem as bolsas de assistência, verbas para participação de congressos científicos.

A luta tem que ser nas ruas. Movimentos sociais denunciam o descaso com a educação no estado de São Paulo. É preciso mobilizar em atos em favor da continuidade da Greve Geral na expectativas de pressionar a reitoria em ouvir  e atender às reivindicações.