Frente Ampla
Os partidos tradicionais da burguesia, os mesmos que organizaram o golpe em 2016, precisam do apoio da esquerda para se recuperarem
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Boulos, Dino, Haddad
A esquerda pequeno-burguesa não tem uma política independente da burguesia | Fonte: Reprodução

O Brasil enfrenta a situação mais grave das últimas décadas e Bolsonaro não tem política para enfrentá-la.

Há uma escalada da dívida pública, uma fuga de capitais recorde e um enorme agravamento da crise social, com desemprego oficial de 15 milhões de pessoas, ou seja, que não leva em conta aspectos como subemprego, pessoas que desistiram de procurar emprego etc., o que faria a cifra triplicar. 

Nesse quadro, a suspensão do auxílio emergencial, que está em debate, levaria 40 milhões de pessoas a uma situação de pobreza absoluta.

A burguesia está dividida entre dois caminhos possíveis para a política econômica:

Primeiro, a injeção de dinheiro na economia, uma política antirrecessiva, que postergaria medidas mais duras, como arrocho fiscal e contenção de gastos. O segundo seria de um ajuste imediato na economia para conter os gastos.

Essa divisão revela as dificuldade políticas da burguesia para lidar com a situação.

Primeiramente, em tempos anteriores, um governo que perdesse o controle da maneira que Bolsonaro vem perdendo, estaria sofrendo um assédio muito duro da burguesia. Mas esta, pelo contrário, vem tratando o problema com muita cautela, pois não tem forças do ponto de vista político para fazer isso, o que é um elemento central da situação política.

Qualquer tentativa de tirar Bolsonaro vai enfrentar resistência e é preciso base popular para enfrentar isso.

Se a burguesia procurar se apoiar na base de esquerda que está polarizando com Bolsonaro, vai acabar perdendo o controle e a situação pode evoluir à esquerda. 

O que ela vai tentar, no entanto, é se recuperar pelos meios tradicionais, e não apoiar nenhum movimento de tipo democrático, à esquerda. E se não for bem sucedida, vai apoiar Bolsonaro.

Nesse cenário, a manobra da frente ampla é fundamental para tais planos, uma vez que os candidatos da direita tradicional não têm popularidade nenhuma e precisam que a esquerda dê apoio a essa operação.

 

A esquerda e a frente ampla

 

Um setor muito amplo da esquerda não vê nenhuma possibilidade de ter uma política independente da burguesia, no caso, a coligação dos antigos Arena-MDB cujos partidos mudaram diversas vezes de nome, desde o fim da ditadura, se dividiram, mas que mantêm no essencial a mesma composição.

De modo geral, a esquerda pequeno-burguesa está envolvida profundamente na manobra da frente ampla, ou seja, de reabilitar os setores tradicionais da burguesia usando o espantalho do Bolsonaro. O PSOL e Guilherme Boulos aparecem como expoentes dessa política, sendo muito marcante o destaque que a imprensa dá a Boulos nas eleições municipais de São Paulo, inclusive com uma recente matéria da revista Veja que classificou Boulos como “o maior fenômeno eleitoral de 2020”.

Nas eleições, o que vemos é a esquerda de um modo geral entrando de cabeça na ilusão das eleições municipais, fazendo de conta que o problema nacional não existe e se desmanchando nas eleições. Assim, faz completamente o jogo da burguesia. Em lugar de ter uma independência da burguesia, PT, PCdoB, PSOL, entraram em coligações com inúmeros partidos burgueses golpistas, inclusive o próprio PSL em diversas cidades.

A única alternativa para os trabalhadores, no entanto, seria o desenvolvimento da polarização polarização política de uma maneira organizada e consciente pela esquerda, criando um movimento de rua pelo “Fora Bolsonaro”, levantando a bandeira da independência diante da burguesia golpista, que é a burguesia da frente ampla, que planejou e organizou o golpe de 2016.

 

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas