Siga o DCO nas redes sociais

Uma “democracia” em que o povo não é representado nas eleições: só 4% dos eleitos em outubro são negros
Ator pornô e deputado federal pelo PSL, Alexandre Frota, agredindo o deputado estadual, Jesus dos Santos (PSOL)
Uma “democracia” em que o povo não é representado nas eleições: só 4% dos eleitos em outubro são negros
Ator pornô e deputado federal pelo PSL, Alexandre Frota, agredindo o deputado estadual, Jesus dos Santos (PSOL)

Como há muito este diário denuncia, as eleições de 2018 para a chefia do Executivo e para os cargos de parlamentares nas esferas estaduais e federais foram uma fraude: o judiciário golpista rasgou a Constituição, retirando à força o Lula das eleições, diretórios partidários do PT e do PCdoB foram invadidos pela polícia a mando de juízes golpistas do TSE, o candidato negro do PT, Renato Almeida, levou tiro da Guarda Municipal fascista de Curitiba enquanto panfletava, o vice-presidente Mourão ameaçou o país com um golpe de Estado, caso a fraude que levaria Bolsonaro ao poder não fosse vitoriosa entre outros fatos que explicam as eleições mais fraudadas da história do Brasil.

Outro elemento que denuncia a fraude é o questionamento que resta do porquê somente 4% dos eleitos são pretos autodeclarados. Destes, a porcentagem diz respeito aos 77 cargos parlamentares ocupados do total de 1.790 vagas. Porém, dessa fração não há nenhum que ocupou o cargo de governador. Conforme os dados do IBGE, a população brasileira soma 55,7% de negros (aqueles que se autodeclaram pretos ou pardos), mas somente 27% destes foram eleitos em 2018. Diante disso, a maioria da população não é representada na política, ou seja, o Estado “democrático” brasileiro não tem nada de democracia.

Leia Também  Adolescente desaparecido foi morto por 17 policiais militares
Deputada Federal Benedita da Silva (PT), única deputada constituinte negra que contribuiu para a elaboração da Constituição de 1988

Para a parte da esquerda que defende a tese de que as eleições de 2018 foram democráticas e que é preciso formar uma frente parlamentar com a direita golpista em nome da democracia contra a extrema-direita não entende que desde sempre o parlamento, a presidência da República, o governo dos Estados e dos municípios foram sempre reservadas para a direita, que por meio de fraudes eleitorais, golpes, controle do judiciário e da mídia, consegue-se ocupar esses cargos. Essa direita não quer saber de representatividade, do direito dos negros ou da maioria da população, ela procura defender tão somente os interesses dos capitalistas e destruir tudo que é direito da população. Quer dizer, essa direita nunca foi democrática e agora se aproxima do governo bolsonarista.

A direita golpista é anti-povo e contra a luta dos negros. Por exemplo, o vereador de São Paulo, Fernando Holiday, do DEM e do movimento fascistóide MBL, é negro, porém contrário aos direitos dos negros, é contrário à política de cotas raciais, alegando que o racismo não existe. Soma-se a isso, a política da extrema-direita de extermínio do povo negro encabeçada pelo pacote fascista “anti-crime” do Ministro da Justiça Sérgio Moro, que dá carta branca para o policial militar matar a população pobre e a negra, além de rasgar o direito dos suspeitos presos em responder em liberdade.

Nesse sentido, o movimento negro, que é popular já que comporta a luta dos interesses da maioria da população, não terão seus direitos defendidos enquanto essa direita não for derrota pela mobilização popular contra esses golpistas e contra o Bolsonaro. É preciso organizar essa luta nos coletivos negros, formar comitês contra o golpe e pela liberdade do Lula. Não é o momento de fazer aliança com a direita golpista , a população precisa e pode ver seus interesses defendidos, para tanto, é preciso derrubá-la junto com o governo ilegítimo do Bolsonaro.

 

Ator pornô e deputado federal pelo PSL, Alexandre Frota, agredindo o deputado estadual, Jesus dos Santos (PSOL)
 



0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x
0 Shares
Share via
Copy link