Um quadro que avança no sentido da decomposição do regime político anterior

Workers' Party And Communist Party Of Brazil Announce Alliance Backing Former President Lula

Seis anos atrás, denunciávamos neste Diário que a burguesia estava articulando um golpe de Estado para derrubar o PT. Segundo os gênios da esquerda acadêmica, super bem pensantes éramos malucos, falavam que nossa imprensa era conspiratória e que vivíamos uma “democracia consolidada”, que quanto a isso não havia com que se preocupar.

Quatro anos atrás depois do golpe de Estado armado pela contra Dilma à serviço dos EUA, explicamos que precisa-se centralizar a esquerda na luta contra o Golpe. Que lutar paralelamente contra uma PEC, uma emenda ou um direito específico não ia nem fazer cócegas no regime golpista, muito menos derrotá-lo.

Três anos atrás fazíamos campanha pela anulação do impeachment e denunciávamos o golpe militar em curso e as acusações de imprensa conspiratória da tão arrogante esquerda voltaram a tomar corpo.

Dois anos atrás denunciávamos que iriam prender o Lula, que precisávamos centralizar a luta na derrubada do regime golpistas que só buscava eleições fraudadas sem Lula para conseguir “encrustar “ o novo governo golpista com uma falsa legitimidade. Novamente fomos acusados de extremistas, exagerados e afins.

No ano passado, atrás denunciávamos que era suicídio político a esquerda permitir que Lula fosse preso. Nos pediram para “relaxar”, pois em 10 dias conseguiriam um habeas corpus para libertar Lula.

Aproximadamente 7 meses atrás explicávamos (novamente) que nunca na história do mundo um governo que ascendeu fruto de um golpe de Estado foi vencido institucionalmente, e que votar no Haddad não era solução para derrubar o Golpe, que abandonar Lula pela candidatura do Haddad era suicídio político, uma vez que o golpe procurava conquistar uma aparência de legitimidade para o Golpe dado

Hoje com um ano completo da prisão política de Lula a esquerda traz uma nova versão da política de “virar a Página do Golpe”: votar no Haddad em 2022. É o que fica implícito no novo grito de ordem de setores da esquerda pequeno burguesa: #LulaPresente #HaddadPresidente

Ou seja, a esquerda burguesa e pequeno burguesa, outrora defensora do “plano B” e hoje a favor da “frente ampla” com setores da direita golpista, trata Lula como morto uma vez que substitui #LiberdadeParaLula por #LulaPresente.
É esse o grande plano de decomposição para o Partido do Trabalhadores. Transformar Lula em mártir e usar sua figura como apetrecho para “tunar” a candidatura do tucano-petista Fernando Haddad ou de outro elemento da “frente ampla”uma vez que, depois de abandonar Lula, não será difícil deixar de lado a candidatura, sem grande prestígio popular, do seu “substituto”.

Já foi comprovado que a única forma de colocar o regime golpista de conjunto em xeque é a liberdade de Lula, que está intimamente ligada a derrubada de Bolsonaro e de todos os golpistas.

A esquerda pequeno burguesa e pequeno burguesa pretende se contentar com as “chupetas” que o golpe quer lhe entregar, como é o caso  da criminalização de palavras machistas, homofóbicas e racistas.
Ingenuamente a esquerda quer aceitar esse falso prêmio de consolação uma vez que não entende a luta de classes e dessa forma quer resolver todos os problemas do capitalismo com lutas das chamadas “pautas identitárias”, que sugere como solução novas leis repressivas e um Estado cada vez mais policialesco.

O Estado está a cada dia que passa mais aparelhado e sob controle dos generais, que estão a postos para assumir o poder total caso o governo Bolsonaro não consiga superar a grande crise que vem sofrendo desde o seu primeiro dia de mandato.
Superar essa crise significa levar milhares de brasileiros ao suicídio por exemplo com a aprovação da Reforma da Previdência.

O momento de se mobilizar e derrubar o regime golpista é esse, antes que a perseguição contra a esquerda se generalize dentro de um cenário de golpe Militar que ja está nos sendo empurrado pouco a pouco desde as denúncias do mensalão.
Se a esquerda não superar seus delírios eleitorais e ilusões democráticas e enfrentar o Golpe a ditadura de 1964 vai parecer desenho animado perto do que a Ditadura que está por vir promete.

#ForaBolsonaroETodosOsGolpistas
#LiberdadeParaLula
#EleicoesGeraisComLula