Menu da Rede

Antônio Carlos Silva

A esquerda e o "centrão"

Um monstro de muitas cabeças

Na escolha para a presidência da Câmara dos Deputados, a esquerda se emblocou com a direita em nome da democracia. O que conseguiu com isso?

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Ao escolher Baleia Rossi como seu candidato à presidência da Câmara dos Deputados, a esquerda parlamentar tomou partido de uma das cabeças de um monstro que tem, no mínimo, 10 delas.

O “centrão”, esse bicho que se estende das entranhas do Executivo às extremidades do Legislativo, tem dois candidatos na disputa.  Arthur Lira (PP-AL) é o candidato oficial do governo Bolsonaro. Baleia Rossi, presidente do MDB, é o nome da “oposição”, indicado por Rodrigo Maia (DEM-RJ).

Não ter programa, nem ideologia, nem nenhuma fidelidade a qualquer credo é uma característica dos partidos burgueses, fisiológicos, recheados de carreiristas da pior espécie. Isso, Lira e Rossi têm em comum. No que seria possível à esquerda enxergar diferenças entre eles? A resposta vem depois.

Antes, destaco o que uma colunista do portal UOL, Carla Araújo, reuniu sobre as opiniões – se assim podemos chamar – dos dois candidatos sobre problemas da economia. Aí se vê que, embora sejam partes de um todo, Lira e Rossi não se distinguem no fundamental do que pensam e querem os políticos burgueses.

Sobre o auxílio emergencial, Lira disse que não é mágico para encontrar uma solução de curto prazo para o auxílio. Ele, “não tem como propor uma solução de curto prazo” e, se essa solução for apresentada, terá que ser encaminhada “sem criar tumulto no país. Sem abalar o que todo mundo preza, que é a confiabilidade para que venham recursos externos”.

Rossi, por sua vez, pensa… o mesmo. Mas disfarça com a boa e velha demagogia das boas intenções (“temos que buscar uma solução” e “ou aumentar o Bolsa Família ou o auxílio emergencial”). Não vai vir dele uma solução de curto prazo, como a que Lira espera que alguém apresente, está claro. Nem solução nenhuma. Não tem proposta. E, deixou claro também, que se uma proposta for apresentada, terá que olhar a pauta “com responsabilidade fiscal”. “Qualquer discussão sobre o auxílio emergencial passa, necessariamente, pelo cuidado com as contas públicas”, disse.

Na reforma tributária, nova convergência. Lira diz que é prioridade e Rossi foi quem apresentou a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 45. Rossi, obviamente, também diz que é sua prioridade. A diferença entre os dois parece estar em que um “quer ouvir” e o outro quer “dialogar” com os demais parlamentares.

Sobre todos os demais pontos sobre os quais a jornalista cotejou as citações dos dois candidatos, as semelhanças são as mesmas: reforma administrativa, PEC emergencial, manutenção do teto de gastos… Mas o que despertou meu interesse, quando comentei essa notícia no programa Resumo da Semana no domingo (17) na Causa Operária TV, foi o tema das privatizações.

Arthur Lira foi direto: vender as estatais vai desafogar o Orçamento e não será simples pois, diz ele, há resistência no Senado. Baleia Rossi, no entanto, tem como diferença o fato de ter sido apoiado pela esquerda. O PT pediu a Baleia que não incentive as privatizações. Mas ele é a favor e se saiu com essa: “o governo precisa mostrar projetos consistentes nesse sentido”. “Até agora não fez”. Ou seja: se fizer, privatizemos. Acaba aí a diferença.

Terá sido essa a vitória da esquerda ao apoiar Baleia Rossi? Conseguiram colocar uma conjunção subordinativa condicional na boca do presidente do MDB? Foi de “vitórias” como essa que a política de colaboração de classes do PT levou ao desastre do impeachment nas mãos do mesmo MDB. Agora, mesmo apeada do poder, a esquerda parlamentar persiste na ilusão de que é possível avançar agarrando-se a uma das cabeças do monstro de tantas cabeças que domina a política nacional. Só não sabem para onde esse monstro os levará.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

NA COTV

Às ruas por fora Bolsonaro, emprego e contra as privatizações - Análise Sindical (Reprise)

49 Visualizações 47 minutos Atrás

Watch Now

SitesPrincipais
24h a serviço dos trabalhadores
O jornal da classe operária
Sites Especiais
Blogues
Movimentos
Acabar com a escravidão de fato, não só em palavras
Cultura

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.