Um governo dos generais: militares sabatinam membros do governo Bolsonaro para ver se estão “na linha”

jpeg

Da redação – O que deveria ser, segundo a propaganda enganosa do ilegítimo Jair Bolsonaro, um governo com “perfis técnicos”, na verdade é um governo que controla rigorosamente quem fará parte da administração, e apenas os de extrema-direita entreguista podem entrar. E quem faz a triagem são exatamente os militares.

Segundo a jornalista da golpista Folha de S. Paulo, Mônica Bergamo, os militares estão sabatinando os “especialistas” indicados para o governo. “A triagem serve para saber se as pessoas estão alinhadas com as ideias da nova administração”, escreve a colunista.

Ainda segundo ela, “os termos usados nas conversas também são novidades, bem como o aviso de que a mudança de políticas públicas será radical”.

Quais são esses termos? Provavelmente, é utilizado um palavreado extremamente reacionário e anticomunista, típico dos militares. Só aceitam aqueles que estiverem “na linha” com a política golpista e de extrema-direita, como é o caso dos ministros fascistas do novo governo.

Além disso, a mudança “radical” na condução das políticas públicas demonstra o caráter entreguista dos militares, que vendem uma imagem falsamente nacionalista. Essa política radical é a de choque neoliberal, de entrega de todas as riquezas nacionais para o imperialismo e de destruição de todos os direitos dos trabalhadores.