Lula Livre
A mobilização, que teve como principal impulsionador o Partido da Causa Operária (PCO), demonstrou que é possível, sem grandes aparatos, realizar importantes lutas
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
WhatsApp Image 2019-10-28 at 15.33.40
Foto: Tiago Macambira/Diário Causa Operária |

Por João Pimenta

Aconteceu no dia 27 de outubro, uma das mais importantes manifestações políticas do ano, o ato nacional pela Liberdade de Lula em Curitiba. Caravanas de todo o País se mobilizaram para este ato, militantes da luta contra o golpe, por Lula livre e pelo Fora Bolsonaro viajaram penosas horas, alguns penosos dias, para participar deste importante evento. Esta própria coluna foi escrita em um desses ônibus.

A mobilização, que teve como principal impulsionador o Partido da Causa Operária (PCO), foi uma demonstração que é possível, sem grandes máquinas partidárias ou sindicais, realizar grandes e importantes lutas.

A esmagadora maioria dos sindicatos brasileiros, salvo honrosas exceções, como os rodoviários de Sorocaba, ou os professores do Estado de São Paulo, os metalúrgicos do ABC e os Bancários de Brasília, se recusou a mobilizar as bases para este ato.

Pois bem. As bases foram mesmo assim. Metalúrgicos estiveram presentes, de Volta Redonda e outros locais, bancários, professores, petroleiros, estudantes da importante Universidade de São Paulo (USP) e ainda mais, companheiros de base do Partido dos Trabalhadores (PT), da Central Única dos Trabalhadores (CUT) e do MST (Movimento dos Trabalhadores Sem Terra), que junto com os destemidos companheiros do PCO formam a espinha dorsal de um amplo movimente que pulsa vermelho e luta contra os desmandos originados no golpe de 2016.

O ato foi um grito contra o imobilismo das direções, tanto figurativo, quanto literal. Ao marchar pelas ruas de Curitiba, exigindo liberdade para Lula, a militância gritou: “Não esperaremos o STF, nem 2022, queremos Lula livre já!”. É um sinal de um profundo deslocamento à esquerda de um grande setor da militância mais ativa das principais entidades brasileiras.

Durante a plenária dos comitês, que ocorreu depois da passeata, os militantes expressaram, cada um à sua forma, sua profunda indignação contra os vacilos das direções em mobilizar pela liberdade de Lula, pela total recusa de levantar o fora Bolsonaro! e ainda mais, por querer esperar até 2022.

Lá companheiros do movimento negro, de mulheres, LGBT, estudantil, e outros, foram aos microfones para falar sobre a situação do movimento Lula Livre. Eles denunciaram ações erradas ou a mera a falta de ação, mas como todo movimento vivo, também fizeram ousadas e importantes proposições.

Em primeiro lugar, proposta pela direção do PCO, foi o lançamento da 2ª Conferência Nacional Aberta de Luta Contra o golpe, contra o fascismo e pela liberdade de Lula.

Foi proposto, por companheiros sindicalistas, lançar uma iniciativa de mutirões de propaganda nas portas de fábrica, e ainda mais, lançar uma campanha nacional, a ser discutida na conferência, pela jornada de trabalho de 35h, sem redução salarial.

Nesta mesma plenária, aquela militância que em geral não fala, teve o direito de falar, de contar suas experiências, alguns com a ditadura de 64, outros com a esquerda, outros na campanha Lula Livre, toda sorte.

Contando com mais de 5000 pessoas, o ato foi um importante exito da mobilização, agora devemos avançar, levar estes ativistas todos ao debate de ideias, de propostas, unificá-los para que possamos, com 5000 pessoas convocando um novo ato, ser 50 mil na porta da Polícia Federal em Curitiba.

Ao trabalho companheiros, a plenária definiu nossas próximas tarefas.

Por uma Conferência de militantes contra o golpe!

Por atos estaduais Lula Livre!

Por um reveillon vermelho, onde quer que Lula esteja!

Fora Bolsonaro!

Lula Livre!

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas