Golpe segue marchando
Declaração dada nesta quarta-feira (19) pelo presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, demonstra como a União Européia legitima as movimentações golpistas na Bielorrússia
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
lukashenko-charles_michel GRANDE
Alexander Lukashenko, presidente da Bielorrússia e Charles Michel, presidente do Conselho Europeu | Fotos: Sergei Gapon/Pool via Reuters e União Europeia

O presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, declarou nesta quarta-feira (19) que a União Européia não reconhece mais o presidente eleito da Bielorrússia, Alexander Lukashenko. Segundo ele,  a decisão veio porque os líderes do bloco econômico não reconhecem a legitimidade das últimas eleições presidenciais, que deram o poder a Lukashenko.

A presidente da Comissão Européia, Ursula von der Leyen, afirmou que a Comissão decidiu reprogramar o auxílio da UE para a Bielorrússia, tirando-os das autoridades e entregando direto para o povo, ao todo são 53 milhões de euros. 50 milhões serão alocados em auxílio para o sistema de saúde, para combater o coronavírus, 2 milhões para as “vítimas da repressão”, e 1 milhão para a sociedade civil. Segundo a afirmação, é possível inferir que o dinheiro não irá mais para o governo, mas sim para a burguesia e os bancos poderem investi-lo por conta própria.

A movimentação golpista fica mais clara a cada dia. Logo após a declaração da União Européia, a líder da oposição, derrotada nas urnas, Sviatlana Tikhanovskaya, afirmou que estava pronta para assumir suas responsabilidades e agir como uma líder nacional.

 

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas