Movimento estudantil
UBES endossa o “fica em casa sob a tutela de Bolsonaro”
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
n154
UBES - União Brasileira dos Estudantes Secundaristas |

Em uma matéria de sua página na internet, a UBES, União Brasileira dos Estudantes Secundaristas, defende que as manifestações contra o governo golpista sejam feitas de forma doméstica além de tecer também críticas bastante ingênuas ou conservadoras ao governo Bolsonaro. Em um de seus tópicos, por exemplo, fala sobre o atual ministro da educação, Luiz Henrique Mandetta: “Quando finalmente tem um ministro com recomendações técnicas, alinhadas com especialistas do mundo todo o governo reclama da falta de ideologia.” Este mesmo sujeito que foi favorável à PEC do teto de gastos além do impeachment de Dilma Rousseff seria esse tão recomendado que a UBES se refere…

No entanto, aqui o que é mais relevante a se tratar é a política do “fica em casa” endossado pela própria UBES e outras organizações.

Em meio a pandemia do COVID-19, popularizou-se  o discurso da “responsabilidade” de ficar em casa como forma de quarentena. popular, naturalmente entre o espectro da classe média, uma vez que ao trabalhador pobre isso é impraticável. Se antes a direção e a vontade política do governo golpista era arrochar a condição de vida dos trabalhadores, ele vê na pandemia uma saída para asfixia-los ainda mais rapidamente. Esperar em quarentena no momento é condenar pacificamente o brasileiro pobre á miséria.

Os “panelaços” e gritos das diversas casas pelo país servem talvez como termômetro para a situação, uma vez que a palavra de ordem “Fora Bolsonaro” finalmente se tornou a principal reivindicação, mas sua contundência política é amena ou nula e facilmente dobrável pela burguesia. Para que o processo de impeachment de Bolsonaro ocorra pelas mãos da própria direita, o que seria nocivo, e que a direção siga da forma como está, é um pequeno passo.

As aproximações sucessivas dos aparelhos de repressão se tornaram galopantes e ameaçam blindar gradualmente o governo enquanto as pessoas são convencidas a ficar em casa, a polícia reprime violentamente aglomerações e controla a inda e vinda da população sobre seu próprio pretexto.

Organizações de massa, como a CUT, PT, UNE e etc., tem o poder de organizar amplamente os setores da classe trabalhadora e estudantil, no entanto lhes falta justamente a vontade política para tal. Aguardar a pandemia, prevista de forma otimista para acabar em seis meses, é esperar que Bolsonaro, Witzel, Doria, Zema, Ajax, Heleno e outras figuras “democráticas”, para não citar todas, cuidem da saúde pública.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas