Tudo para não mobilizar
UNE e UBES também fizeram comemorações quando o TRF3 determinou o adiamento do ENEM, mas como esperado o governo golpista passou por cima da decisão e manteve a data inicial.
Pedro Gorki, o presidente da UBES |

O Congresso Nacional está votando um gigantesco ataque contra os servidores públicos tendo em vista o congelamento de seu salários até dezembro de 2021, contudo os deputados federais retiraram os profissionais da educação da lista dos servidores assaltados. A UBES, União Brasileira dos Estudantes Secundaristas, declarou o acontecimento como uma vitória da educação, mais uma vez confundindo a real vitória dos estudantes e dos professores com pequenas manobras de parlamentares ou da justiça.

Primeiro é necessário lembrar que essa votação não é garantia de nada visto que a votação ainda passará pelo Senado, mais direitista ainda que a Câmara, onde pode ser facilmente revertida. Um exemplo recente mostra essa realidade, as próprias UNE e UBES comemoraram a decisão da Justiça Federal de São Paulo de adiamento do ENEM, porém rapidamente os golpistas passaram por cima da medida e a data do exame será mantida mesmo sem garantia de aulas presenciais para a maior parte dos estudantes do Brasil. A verdade é que só a mobilização popular pode de fato conquistar vitórias para os estudantes e para os trabalhadores

Enquanto isso a UNE e a UBES continuam com a sua política de “lute em casa” mesmo com a quarenta se desmantelado em quase todo o Brasil e com seus métodos inócuos de luta como petições online, tuitaços e panelaços. No mundo inteiro acontecem manifestações, de forma organizada como todas as medidas de precaução necessárias sendo tomadas, e mesmo assim as organizações estudantis se negam a assumir a postura combativa que é necessária nesse momento em que um fascista está no governo e pretende não só destruir a educação como matar o povo de doença ou de fome.

O único caminho para real vitória da educação é a luta dos estudantes e dos professores e para isso é necessário que suas direções assumam essa luta. É necessário que as direções parem de participar de falsos atos online com a burguesia, parem de defender a frente ampla, parem de apenas atuar na internet ou nas janelas. É necessário se organizar e é necessário se mobilizar pela defesa da educação, pelo fora bolsonaro e todos os golpistas!

Relacionadas