“Tudo culpa do Putin”: com medo de perder, imperialismo já acusa Rússia de interferir em eleições europeias

Putin

O cinismo e o desespero tomaram conta do cenário internacional. Desta vez, o imperialismo acusa a Rússia de interferência nas eleições para o Parlamento Europeu. Segundo matéria do The New York Times, uma constelação de sites e contas de redes sociais vinculadas à Rússia está empenhada na difusão de desinformação, com o objetivo de promover a discórdia e estimular a desconfiança quanto aos velhos partidos do centro. As acusações, entretanto, não passam de uma cópia descarada do teatrinho montado contra o governo russo, em 2016, quando Trump ganhou as eleições norte-americanas.

De acordo com o jornal imperialista, há, evidentemente, um conluio entre sites extremistas da Itália, organizações políticas alemães e o governo russo. Afinal, nas palavras do NYTimes, esses grupos utilizam os mesmos servidores empregados pelos “hackers russos” que, em 2016, invadiram as contas de e-mail do comitê nacional do Partido Democrata. Embora, dada a debilidade atual do imperialismo, a propaganda contra a Rússia esteja na ordem do dia, como sempre, as acusações não encontram a mínima base de sustentação; – são apenas ilações fundamentadas no pavor de perder o domínio do mundo.

Segundo Daniel Jones, investigador do Senado dos EUA e analista do Serviço Federal de Investigações (FBI), “o objetivo aqui é maior do que uma dada eleição. É dividir, aumentar a desconfiança e solapar constantemente nossa fé nas instituições e na democracia mesma. Eles estão trabalhando para destruir tudo aquilo que foi construído desde a Segunda Guerra Mundial.”

A Rússia, obviamente, descarta todas as acusações de interferência. Nas palavras do primeiro-ministro Dmitry Medvedev, “suspeitar de alguém por um evento que ainda não aconteceu é paranoia das mais tolas.” “A eleição nem aconteceu ainda e já somos suspeitos de termos feito algo errado?”

Toda essa propaganda contra os russos revela o nível de desespero dos setores mais importantes do imperialismo diante das eleições que serão realizadas entre 23 e 26 de maio. Assim como nos EUA, em que estão acusando o Putin de ter eleito Trump para fazer uma campanha contra Trump e a Rússia, o imperialismo já está acusando a Rússia de interferir nas eleições europeias, com medo que a extrema-direita ganhe. Desta forma vão tratar o resultado como fraudulento. Trata-se, portanto, de puro cinismo do imperialismo que frauda as eleições em todos os lugares do mundo (exemplo do Brasil e outros).