Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit

Depois de mais de dois anos das denúncias da máfia da merenda, envolvendo o ex-presidente da Assembleia Legislativa de São Paulo (ALESP), Fernado Capez e o Governador Geraldo Alckmim, veio à tona outra roubalheira no setor.

O procurador-geral de Justiça de São Paulo, Gianpaolo Smanio, denunciou ao Tribunal de Justiça o deputado estadual Fernando Capez (PSDB) na Operação Alba Branca. A investigação começou em janeiro de 2016 contra desvios no fornecimento de merenda escolar. A Capez são atribuídos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

A denúncia relatou que a propina paga a Capez e ao representante comercial da Coaf, alcançaram  o patamar de 10% do valor dos contratos administrativos, no total de mais de  R$ 11,3 milhões, celebrados entre a Secretaria da Educação do Estado de São Paulo e a cooperativa.

Os valores das propinas e comissões chegaram à cifra de R$ 1.139.928,50. Os valores foram extraídos do superfaturamento do preço da mercadoria alienada à Secretaria da Educação.

O caso da máfia de merenda em São Paulo, assim como tantos outros casos de corrupção envolvendo os partidos da direita, deixam claro que toda a campanha de “combate à corrupção” feita pela imprensa burguesa e outros setores golpistas não é mais do que uma campanha de perseguição aos adversários do regime entreguista que impuseram ao País.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas