“Trump não fez o suficiente na Síria”, defende corrente pró-imperialista do PSOL

trump

O grande impasse em que o imperialismo se encontra levou o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, a disparar mísseis contra a Síria. Desesperado, o imperialismo busca, mesmo diante de todas as contradições que levaram Trump à presidência da República, retomar seu controle no Oriente Médio, que se encontra em decadência desde a errática guerra ao Iraque.

Para justificar o ataque à Síria, o imperialismo utilizou a velha campanha moralista de que Assad seria um “ditador” e estaria castigando sua população. Um argumento, inclusive, muito cínico, visto que o número de pessoas sem-teto nos Estados Unidos tem crescido de maneira veloz.

Qualquer organização que defenda o interesse da classe trabalhadora não pode, obviamente, se deixar levar pelas falácias do imperialismo. É necessário denunciar que as acusações do imperialismo sobre o presidente sírio são apenas uma desculpa para impor um regime ainda mais duro contra a população. Não há interesse real do imperialismo no bem-estar dos sírios, o único interesse está na quantidade de petróleo a ser roubado.

Contudo, o site americano Socialist Worker, que é ligado a setores do PSOL e se considera de esquerda, alegou, em uma matéria recente, que Trump “não fez o suficiente na Síria”. Ou seja, para o site, os mísseis não serão suficientes para resolver o problema da Síria. De fato, os mísseis não foram suficientes para resolver nada – afinal, nada será resolvido com o bombardeio de um país imperialista sobre um país atrasado. No entanto, o que a matéria deixa a entender, ao qualificar Assad como um ditador, é de que a intervenção imperialista deveria ser ainda mais intensa.

A posição do Socialist Worker deve ser denunciada como uma posição abertamente pró-imperialista. Essa posição é semelhante a de grupos como PSTU, que se deixam levar pelos argumentos moralistas da imprensa burguesa e se alinham ao imperialismo.