Siga o DCO nas redes sociais

Trump cria novas regras para dificultar a vida dos imigrantes nos EUA
KIZOHVAFXJPJB4TKSBFY55GGSM
Trump cria novas regras para dificultar a vida dos imigrantes nos EUA
KIZOHVAFXJPJB4TKSBFY55GGSM

A crise capitalista mundial, que se arrasta há anos sem sinal de trégua, vem se agravando apesar dos esforços da burguesia para manter os lucros através de uma maior exploração da classe trabalhadora. Mesmo nos países mais ricos como EUA a situação é crítica, principalmente para os imigrantes, a população não tem moradia, saúde e precisa de ajuda do governo para adquirir alimentos.

Somados às inúmeras dificuldade, agora os imigrantes que desejarem requerer visto de moradia nos EUA, o chamado green card, podem ter seu visto recusado se não provarem que conseguem se manter sem auxílio estatal. No novo regulamento, um calhamaço de quase 1000 páginas, publicado pelo Departamento de Segurança Interna do governo, para obter permissão de residência, um dos muitos requisitos contidos  é provar que o indivíduo consegue se manter com rendas próprias ou no máximo com ajuda de instituições privadas.

Não é de se surpreender, no entanto, que um país cuja política seja tão reacionária, a base do julgamento para obtenção do green card passe a ser a meritocracia, largamente propagandeada pela direita para justificar a enorme desigualdade no capitalismo. Os merecedores da dádiva de poder permanecer legalmente no país mais rico do mundo devem se provar autossuficientes mesmo quando a própria imigração ilegal é fruto de uma busca por melhorias nas condições de vida de indivíduos em situações de muita dificuldade.

Grande parte destes imigrantes ilegais são refugiados de países que enfrentam graves crises política e econômica, graças à a ação do próprio imperialismo norte-americano, que vem apoiando novos golpes em países latinos desde a crise capitalista de 2008. É o caso de países como Honduras, cujos habitantes protagonizaram, devido à precária situação em que se encontravam, uma marcha a pé até a fronteira do México com os EUA, com milhares de pessoas.

Os imigrantes, deixados sem opções pelas políticas direitistas que degradam seus países de origem, migram para encarar Donald Trump, conhecido pela xenofobia, e as jaulas que os aguardam do outro lado da fronteira. Os terríveis relatos dos encarcerados pela polícia fronteiriça, deixam claro os verdadeiros campos de concentração em que se encontram os imigrantes no maravilhoso “paraíso da democracia”.

Para atacar países como Venezuela, Irã e Cuba, o imperialismo norte-americano usa e abusa da bandeira da defesa da democracia, dizendo-se arauto da civilidade contra as “ditaduras” dos países que se recusam a cerder e entregar suas riquezas. Porém, aos estrangeiros que batem às suas portas fornecem um tratamento desumano dado pela extrema-direita, aplicando mais uma vez o encarceramento massivo dos pobres.