Tribunal bolsonarista proíbe estudantes de realizarem reunião na Universidade do Paraná

estudante ufpr mst

Mais um caso da ditadura dos tribunais golpistas. Estudantes da Universidade Federal do Paraná foram proibidos de realizar uma reunião na universidade para discutir os casos de agressões políticas.

A reunião foi convocada pelo Diretório Central dos Estudantes (DCE) para ocorrer na última quinta-feira (dia 11) após o caso da brutal agressão sofrida por um estudante da UFPR por estar usando um boné do MST. O estudante foi espancado por um grupo de bolsonaristas, levando várias garrafadas na cabeça.

A proibição da reunião foi feita pelo TRE-PR (Tribunal Regional Eleitoral), uma proibição totalmente ilegal. Primeiro porque a um tribunal eleitoral não tem o direito de dizer o que os estudantes podem ou não fazer dentro da universidade, em segundo lugar porque qualquer pessoa ou grupo deveria ter o direito de se reunir para discutir o que bem entender. Mas esse não é o caso do Brasil do golpe, onde os tribunais e a polícia estabeleceram uma ditadura no País.

A decisão do TRE contra os estudantes mostra também que todos os golpistas estão apoiando Bolsonaro.

É preciso enfrentar não somente a extrema-direita que está na rua mas lutar contra as instituições golpistas, denunciar a ditadura dos tribunais e mobilizar contra o golpe. A extrema-direita só pode ser derrotada nas ruas, com a organização dos Comitês de autodefesa e com uma enorme mobilização.