“Paulo Preto do PSDB, flagrado com milhões, mas nada aconteceu” por Rui Costa Pimenta

Ouça um trecho da Análise Política da Semana na Rádio Causa Operária. Nesse trecho Rui Costa Pimenta comentou o tema “Execução de Marielle, Impeachment, intervenção militar e prisão de Lula, tudo está ligado ao golpe”:

“Aí o outro fala: isso não tem nada a ver com o Lula. Não, tem tudo a ver com Lula. Os golpistas derrubaram o governo, rasgaram a Constituição, aumentaram a repressão judicial e policial no país, estão prendendo um importante Líder, o mais importante líder popular do país sem provas, passando por cima da Constituição e eles querem dizer que a ação ilegal da polícia militar, sob o comando das Forças Armadas, no Rio de Janeiro, não tem nada a ver com isso? quem que é trouxa de acreditar numa coisa dessa? é uma coisa absurda.

O deputado do PSOL, Marcelo Freixo, tem uma atitude ainda mais estranha. Segundo ele, não dá nem para saber quem teria assassinado a vereadora porque ele falou que ela não foi ameaçada por ninguém, não estava acontecendo nada, e de repente esse assassinato saio do aquém e do Além. Isso é um absurdo uma colocação como essa. É evidente que há toda uma parcela da esquerda que quer promover esse amor entre a direita e a esquerda, inclusive ao preço de um aumento extraordinário da repressão política no país. Isso é totalmente inaceitável. O assassinato da vereadora, logicamente que ele deve levar à uma política de conjunto, quer dizer, na realidade ele deve ser integrado na luta contra o golpe. Nós devemos mostrar que isso é o golpe de estado. Não vamos ser ingênuos. Ingenuidade é assim: “não, isso é um acontecimento isolado.” Não!  O Rio de Janeiro está sob intervenção militar. Lógico tem gente aí de direita sempre, e tem gente de esquerda, que acha que se eu os militares estão no Rio de Janeiro, eles estão na rua, a situação é mais segura. Isso é uma bobagem. Os militares são mais perigosos do que traficantes do que a PM, do que a milícia, e todos os fenômenos de violência que você tem no Rio de Janeiro. É isso que ninguém entendeu em relação à intervenção militar, mas vocês vejam por exemplo que esses militares eles tiveram; esses policiais que assassinaram a vereadora; eles fizeram isso daí com a maior tranquilidade. A pergunta é: a intervenção militar dificulta ou favorece isso aí? favorece, lógico. Amanhã você tem uma mobilização muito grande contra a PM. O que os militares vão fazer? atacar a mobilização. Então, é preciso colocar as coisas às claras. Qual é a orientação geral da política? uma parte da esquerda levantou a seguinte palavra de ordem de que levantar o crime será esclarecido. Isso aí é um beco sem saída. Provavelmente o crime será esclarecido. Vão pegar algum otário aí, e ele vai pagar o pato. Vai ser um bode expiatório do crime. Por exemplo, na chacina de Osasco, que está relacionada com essa morte por causa da munição, três pessoas foram condenadas. Agora nós vamos acreditar que o assassinato de 17 pessoas foi feito por três policiais? essa aí era a ponta mais fraca da corda. Arrebentou nesses três infelizes aí. Eles vão pagar o pato. Daqui a pouco o Ministério da Justiça e Segurança Pública, Jungmann, capacho dos militares, declarou que eles vão pegar o culpado em 24 horas. Podemos esperar uma farsa. Sempre pode-se esperar uma farsa.”

Não perca o programa análise política da semana, todos os sábados, a partir das 11h30, ao vivo, no canal COTV no Youtube, e posteriormente adicionado na Rádio Causa Operária no Soundcloud.