Periferia tem mais vítimas
Reflexo das desiguldades brutais no país, regiões pobres da capital paulista apresentam um número expressivamente maior de óbitos
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
A man wearing a protective mask outside Rocinha Slum waits for a public bus during the coronavirus disease (COVID-19) outbreak in Rio de Janeiro, Brazil, March 18, 2020. REUTERS/Ricardo Moraes
Foto: Arquivo/DCO |

Da Redação – Um balanço divulgado no último sábado, 16 de maio, pela prefeitura mostra a evolução da letalidade do coronavírus em São Paulo.

Com dados apurados até 30 de abril , o relatório aponta que os bairros mais pobres são os que mais apresentam vítimas fatais. Em contrapartida, os ricos são os que menos tem óbitos, com destaque ao caso do Morumbi. Primeiro a ter uma infecção notificada na capital paulista, o bairro tinha, até a data de fechamento do estudo, 20 mortos, contra 156 no Brasilândia, onde o maior número de mortes foi registrado. Os 10 bairros com mais mortes:

  1. Brasilândia – 156 mortes
  2. Sapopemba – 152 mortes
  3. Capão Redondo – 126 mortes
  4. Grajaú – 125 mortes
  5. Jardim São Luís – 118 mortes
  6. Cachoeirinha – 115 mortes
  7. Itaquera – 110 mortes
  8. Jardim Ângela – 106 mortes
  9. Tremembé – 101 mortes
  10. Cidade Ademar – 101 mortes
Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas