Tratados como bicho, crianças de escola no Ceará só comem arroz e criticam merenda escolar

Mais-uma-escola-municipal-sem-aula-em-Feira-de-Santana

Os alunos da Escola Municipal e Ensino Fundamental Lucas Ferreira, em Irauçuba, interior do Ceará, tem denunciado da má alimentação distribuída pela instituição desde o começo do ano letivo. Alguns relatos revelam que tem sido oferecido apenas arroz temperado com cebola e alho enquanto aguardam com fome pelo fim do processo licitatório de agricultura familiar.

A desculpa para a demora no processo é de que algumas empresas entraram com recurso, demonstrando claramente o desinteresse do poder público em estabelecer prazos que respeitem o calendário escolar. Fica explicito o absurdo descaso com a alimentação dessas crianças e jovens que não podem se alimentar apenas com arroz enquanto suas famílias tem extrema dificuldade para sobreviver, principalmente na atual conjuntura político-econômica.

A omissão do governo em relação à alimentação de qualidade, que cumpra com o papel nutricional adequado, é mais uma demonstração do desmonte da educação pública no país. A destruição do ensino público serve aos interesses imperialistas do Banco Mundial de estabelecer políticas neoliberais de parcerias público-privadas (PPPs) através de ONGs e empresas privadas.

Dessa forma o governo espera que em um futuro próximo haja a naturalização dessa prática que corrobora com a política de privatização da educação, típica dos golpistas encabeçados por Bolsonaro.