Trabalho escravo no transporte de alunos da federal do ABC

grandino.jpg1

Nesta segunda feira durante panfletagem do Comitê Santo André contra o golpe, na Universidade Federal do ABC, estudantes da universidade fizeram a denúncia de que motoristas da JP Grandino, ônibus fretados que fazem o transporte de estudantes da Universidade entre os campi de Santo André e São Bernardo do Campo, no ABC Paulista, atendendo alunos, docentes e funcionários entre 6h00 e 23h00 dobram turnos e trabalham até 18 horas por dia, uma verdadeira escravidão.

Sabendo disso os militantes do comitê contra o golpe foram conversar com os motoristas que estavam no ponto esperando saída e os mesmos confirmaram a situação. Revoltados, ainda disseram não receber hora extra e que o banco de horas quando os trabalhadores precisam do mesmo a empresa alega não poder atender no momento.

Além disso um dos motoristas comunicou, que procuram atender os estudantes da federal do ABC da melhor maneira possível, mas que temem que pelo cansaço brutal depois de uma jornada de mais de 16 horas, uma hora possa ocorrer um acidente.