Trabalhadores são xingados por encarregado do Frigorífico João Gava

marfrig

Com mais de 180 trabalhadores, o Frigorífico João Gava, localizado em Perus, zona oeste de São Paulo, está obrigando seus funcionários a trabalhar em um ritmo cada vez mais acelerado.
Os operários têm que carregar pesos de mais de sessenta quilos, enfrentar o calor insuportável por conta do cozimento de ossos, ou seja, os operários estão sendo tratados como verdadeiros escravos.
Sofremos todos os dias com o tamanho esforço ao qual realizamos, são dores nos ombros, costas, coluna cervical, joelhos, etc., denunciaram os trabalhadores aos representantes do Sindicato dos trabalhadores nas Indústrias de Carne, Derivados e do Frio no Estado de São Paulo, com quem conversaram.
Não bastasse a falta de condições mínimas de trabalho, o encarregado Rogério, que mais parece ter vindo do período colonial, do tempo da escravidão, só falta chicotear os operários, porque, de resto é idêntico aos capatazes daquela época, o tratamento com os funcionários é só no grito. São xingamentos de todas as formas, um verdadeiro troglodita em pessoa.
Os trabalhadores do frigorífico João Gava não devem aceitar essa atitude do carrasco Rogério, portanto, os representantes do Sindicato dos Frios estarão realizando reunião com os trabalhadores na próxima semana para discutir sobre esta questão.
Se necessário, os trabalhadores podem ir à greve, até que seja resolvido o problema.