Siga o DCO nas redes sociais

Trabalhadores protestam contra assédio moral no Bradesco
img_bradesco
img_bradesco

A cada dia que passa aumentam as denúncias, no país inteiro, dos trabalhadores bancários que reclamam da violência psicológica imposta pelos prepostos dos banqueiros golpistas do Bradesco, à frente das agências e dependências do banco, através de assédio moral.

Na cidade de Campo Grande (MS,) a direção do Sindicato dos Bancários retardou a abertura da agência, que fica na rua Dom Aquino, devido às denúncias em relação à situação que estão sendo submetidos pelo gerente. Não é a primeira vez que o gerente, capataz de banqueiro, foi denunciado pelo tratamento truculento aos funcionários, mas como a prática de assédio moral é o modus operandi dos banqueiros, para aumentar os seus já fabulosos lucros, é claro que a dose será sempre repetida.

Segundo a presidenta do sindicato da região, Neide Rodrigues, as denúncias são total insatisfação dos funcionários, “estão sendo muito pressionados e maltratados pelo gerente geral, pela forma agressiva como ele vem cobrando as metas, e se dirigindo aos trabalhadores”. (site SINDICÁRIONET 22/7/19)

Há uma ofensiva gigantesca dos banqueiros à categoria bancária. Com o golpe, em que os banqueiros nacionais e internacionais estiveram entre os grandes financiadores, se aumentou estratosfericamente a política de ataques para que os bancos lucrem cada vez mais através da superexploração dos bancários.

Os trabalhadores do Bradesco, e os bancários em geral (essa política não é exclusiva do Bradesco), não devem aceitar esses ataques e, através das suas organizações sindicais, devem organizar, imediatamente, uma verdadeira mobilização para barrar a ofensiva reacionária dos banqueiros.