Caráter revolucionário
Há seis semanas o povo chileno está nas ruas pela derrubada de Sebastián Piñera, colocando em primeiro plano a tomada do poder político pelos trabalhadores
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
49057936462_432b3b6adc_k
Marcha no último dia 12 em San Antonio. Foto: Vivian Morales C./Flickr (CC BY 2.0) |

Da redação – Nesta terça-feira (26), os trabalhadores chilenos realizam uma nova greve geral, paralisando o país após seis semanas de protestos contra o governo do presidente direitista Sebastián Piñera.

Desde a manhã de hoje tem havido variadas ações de protesto, como o bloqueio de vias que unem a capital, Santiago, com cidades como Valparaíso e a portuária San Antonio. As rotas 5 e Departamental também foram bloqueadas, mas os Carabineros (polícia militar chilena) reprimiram fortemente os grevistas com jatos de água e gás de pimenta.

Em outros pontos de Santiago também foram relatadas esse tipo de ação das forças repressivas, que já mataram ao menos 24 pessoas e deixaram mais de 2 mil feridos desde o início dos protestos, em 18 de outubro.

Nolberto Díaz, secretário-geral da Central Única dos Trabalhadores (CUT) do Chile, explicou que a greve geral de hoje foi desencadeada porque o governo se recusou a ouvir as exigências da população e aumentou a repressão.

#ParoNacional: Continúa manifestación en Paradero 25 de Santa Rosa y siguen sumándose trabajadorxs y pobladoras/es al corte de tránsito#EstoNoHaTerminado

Posted by Frente Fotográfico on Tuesday, November 26, 2019

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Relacionadas