Ricos com mais dinheiro
Classe trabalhadora continuará sendo massacrada na crise, previsões de retomada são ruins e só alegram os capitalistas e suas bolsas de valores
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
desemprego_sul21
Desemprego continuará em alta. Trabalhadores continuarão no drama da fome e da morte | Foto: Reprodução

No momento em que as mortes provocadas pela pandemia do Covid-19 atingiram a marca de 150.709 óbitos, em 12/10, com 5.102.603 pessoas infectadas (segundo as estatísticas oficiais), a Bolsa de Valores registrou alta de quase 2.000 pontos. Comparar o crescimento nas negociações de bolsa com as condições de vida dos trabalhadores demonstra um verdadeiro absurdo.

Não é só a questão do desemprego em massa e a perda de renda dos trabalhadores. Esse sobe e desce da economia é macabro quando pensamos que a maioria dos 150 mil mortos é de pessoas da classe trabalhadora. Situação essa que se repete em todos os países capitalistas. A classe trabalhadora é formada por extratos de renda de pessoas que vivem em moradias muito precárias e, mesmo quando as casas são melhores, há muito mais gente vivendo em espaços menores, o que favorece a propagação do vírus. Isso sem falar nas condições de transporte e trabalho. Os trabalhadores são os que têm menos acesso à saúde e recebem os piores tratamentos. Mesmo no Brasil, com o sistema público de saúde, o SUS, garantindo atendimento à maioria, depois do golpe de 2016 o Sistema público tem sido sucateado ao máximo. Falta tudo, e hoje em dia falta até ministro. O general que foi colocado no Ministério da Saúde chegou a afirmar que não conhecia o SUS até ser nomeado.

Além da desigualdade entre as classes, estudo realizado pela Escola Nacional de Saúde Pública (Ensp), da Fiocruz, divulgado na terça-feira (13) mostrou a desigualdade racial existente, os resultados da pesquisa mostraram que “depois de chegar ao país com viajantes das classes média e alta, o vírus se disseminou de modo a afetar mais a população negra. Na Semana Epidemiológica 15 (4 a 10 de abril), a população branca representava 73% das internações e 62,9% dos óbitos. Cerca de um mês e meio depois, na Semana Epidemiológica 21, os dados mostram proporções semelhantes de brancos e negros em relação às hospitalizações. Nos óbitos, entretanto, a população negra passa a representar 57%, enquanto a branca representa 41%” (Sul21, Agência Brasil, 13/10/20).

No caso das políticas públicas de enfrentamento da pandemia, a questão não é falta de dinheiro. Nesse período houve transferência de quase R$ 3 trilhões para os bancos. Dias atrás soube-se que o Exército brasileiro gastou R$ 6 milhões em manobras para simulação de uma suposta guerra contra a Venezuela, só para mostrar serviço aos norte-americanos. No final das operações de guerra o Secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, visitou a região (Brasil247, 14/10/20).

O Projeto de Lei Orçamentária Anual (PLCN 28/2020), que foi encaminhado pelo governo golpista ao Congresso Nacional, afirma que a previsão de arrecadação do governo federal para 2021 é de R$ 4,291 trilhões. Desse total, R$ 2,236 trilhões (53,9%) irão para o pagamento de juros e amortizações da dívida pública. Vão direto para o bolso de banqueiros e rentistas. As Forças Armadas e as Polícias terão um crescimento 20,67% e 22,81% respectivamente. A reforma agrária e a agricultura familiar terão uma queda de 33,15%. É a cara do golpe que foi dado contra os trabalhadores.

O desemprego não dá nenhuma demonstração de redução, ao contrário, todas as estatísticas mostram o desemprego e o subemprego crescendo, a classe trabalhadora perdendo renda e direitos. Os indicadores de retomada da economia são muito fracos, mesmo o Fundo Monetário Internacional (FMI)tendo revisto as previsões sobre a queda do PIB. Antes prevendo uma queda de 9,1% para o PIB brasileiro, agora as estimativas para o Brasil apontam para uma queda menor de 5,8%. Do mesmo modo, o FMI não acredita que o Brasil vai ter uma boa recuperação econômica em 2021, a estimativa é de um crescimento de 2,8%. Isso significa que o desemprego continuará alto e os trabalhadores continuarão enfrentando a morte e a fome.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas