Efeitos da crise
Segundo dados do IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) os trabalhadores informais brasileiros perderam 40% de suas rendas habituais no mês de maio.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
informalidade
Trabalhadores Informais seguem sendo os mais afetados pela crise na pandemia. | Foto: Arquivo DCO

Segundo dados do IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) baseados na Pnad Covid do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) divulgados na última quinta-feira (02), os trabalhadores informais brasileiros perderam 40% de suas rendas habituais no mês de maio, ou seja, seus rendimentos em média equivaleram a apenas 60% do que recebem frequentemente.

Os mais afetados foram os trabalhadores de serviços considerados não essenciais durante a pandemia, como atividades artísticas, esportivas e recreação (perca de 45%), transporte de passageiros (43%), hospedagem (37%) e serviços de alimentação (35%).

Além das quedas na renda, no mês de maio, cerca de 32% dos domicílios não apresentaram renda nenhuma, e 5,2% (o que equivale a cerca de 3,5 milhões) sobreviveram apenas com o dinheiro do auxílio emergencial, o que nos faz questionar quais as condições, já que o auxílio é de apenas R$600, além dos trabalhadores que não tiveram nenhuma renda e também não conseguiram o benefício, o que soma 9,7 milhões de trabalhadores.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas