Bahia
Trabalhadores da Petrobrás protestam contra a entrega da Refinaria Landulpho Alves a especuladores internacionais e se preparam para greve.
RLAM - 1
Trabalhadores da Petrobrás rejeitam entrega da empresa aos tubarões internacionais. | Foto por: reprodução/sindipetro-ba
RLAM - 1
Trabalhadores da Petrobrás rejeitam entrega da empresa aos tubarões internacionais. | Foto por: reprodução/sindipetro-ba

Os trabalhadores da Petrobrás da Refinaria Landulpho Alves (Rlam) localizada em São Francisco do Cônde, região do recôncavo baiano, realizaram protesto contra a venda da refinaria para um grupo árabe, cfe anunciado pela direção bolsonarista da empresa.

Os trabalhadores paralizaram para denunciar mais um crime do governo Bolsonaro e da política dos golpistas que visam entregar a especuladores internacionais por meros 1,65 bilhões de dólares, uma das refinarias mais produtivas e lucrativas da Petrobrás, responsável por cerca de 30% de combustível produzido pela empresa, será entregue também cerca de 700 Km de oleodutos e os terminais de Madre de Deus, de Candeias, Jequié e Itabuna.

Mas, os principais afetados, sem dúvida, serão os trabalhadores principalmente os cerca de 1.700 terceirizados, além dos cerca de 900 funcionários diretos da Petrobrás que serão forçados a se mudarem para o sudeste ou a saírem no PDV.

O sindicato da categoria, Sindipetro-Ba, anuncia que já está sendo preparada a greve da categoria para intensificar a luta contra a privatização, não só da refinaria, mas de toda a Petrobrás, a maior empresa do país.

Relacionadas
Send this to a friend