Siga o DCO nas redes sociais

Mobilização
Trabalhadores e estudantes saem às ruas contra Bolsonaro
Em dezenas cidades, militantes foram às ruas contra os ataques da direita à educação e às empresas estatais. Além disso, movimentos sociais se somaram ao chamado feito pela UNE.
EF99V6KWkAA08pL
Mobilização
Trabalhadores e estudantes saem às ruas contra Bolsonaro
Em dezenas cidades, militantes foram às ruas contra os ataques da direita à educação e às empresas estatais. Além disso, movimentos sociais se somaram ao chamado feito pela UNE.
Manifestação no Ceará. Foto: Brasil de Fato
EF99V6KWkAA08pL
Manifestação no Ceará. Foto: Brasil de Fato

Da redação – Apesar de pequenos, atos em todo o país estão ocorrendo contra o governo Bolsonaro, diante de seus ataques à educação e o projeto de privatizações. Diversas cidades e capitais já tiveram ou terão atos para lutar contra os ataques neoliberais dos golpistas.

Pela manhã (3), foi realizada uma marcha entre a refinaria Presidente Getúlio Vargas (Repar) e a Fábrica de Fertilizantes do Paraná (Fafen-PR), que ficam em Araucária, na região metropolitana de Curitiba, ambas ameaçadas de privatização.

Os petroleiros participaram das manifestações convocada pelos estudantes e a comunidade acadêmica. Segundo o Blog do Esmael, “eles se reuniram na reitoria da Universidade Federal do Ceará (UFC) e caminharam pelas ruas da capital. Também foram registrados atos em Salvador, Manaus, Teresina e Campo Grande. O programa Future-se, que prevê a participação do capital privado nas universidades, foi alvo dos protestos”. Além disso, diversas cidades do interior do país já realizaram atos contra o governo.

 

“Não estamos falando só de desemprego nas estatais e, sim, em toda a cadeira produtiva, além de riscos de acidentes e piora na prestação dos serviços, pois as empresas privadas só visam o lucro e a alta nos preços. Hoje, o brasileiro já paga caro pelos combustíveis, nossa gasolina é a segunda mais cara do mundo porque a política de preços é gerenciada pelo mercado internacional”, afirmou o coordenador da Federação Única dos Petroleiros (FUP), José Maria Rangel.

Veja fotos dos atos:

Este slideshow necessita de JavaScript.