Trabalhadores do Bradesco sofrem com a falta de pessoal na agência de São Sebastião DF

bradesco_

A política dos banqueiros golpistas de demissão em massa de bancários está levando o caos nas agências devido à falta de pessoal, que não dão conta da demanda de clientes que lotam as dependências bancárias.

O Banco Bradesco, um dos carros chefes de jogar no olho da rua milhares de trabalhadores, já demitiu cerca de 9 mil funcionários desde o ano de 2017 até agora, com o fechamento de centenas de agências espalhadas pelo País.

As barbaridades dos banqueiros, financiadores do golpe de Estado, não param por aí. Segundo o presidente-executivo do banco, Octavio de Lazari, em declaração no último dia 20 de novembro, o Bradesco pretende fechar mais 150 agências ainda neste ano de 2018 e mais 150 em 2019, ou seja, vem chumbo grosso contra os trabalhadores, logicamente uma grande quantidade perderão os seus empregos e para aqueles que permanecerem no banco aumentará a carga de trabalho, que já é exaustiva.

Na esteira dessas barbaridades, os trabalhadores da agência São Sebastião, localizada em uma das cidades no entorno de Brasília, reclamam da falta de pessoal, e sofrem com a superlotação, praticamente todos os dias, da agência com a sobrecarga de trabalho e a pressão que vem de todos os lados. Por um lado, dos chefetes, baba ovos do patrão, com a cobrança sistemática pelo o atendimento das metas de venda de produtos bancários, por outro lado os clientes ao reclamarem na demora do atendimento. É uma verdadeira loucura. Não é por acaso que a categoria bancária está no topo da lista de doenças causadas por motivos laborais, tanto psíquicos quanto físico.

É preciso barrar, imediatamente, esta onda de demissões que já atingiu milhares de bancários através de uma ampla mobilização da categoria em conjunto com todos os trabalhadores e suas organizações contra o regime da direita golpista.  Para os banqueiros, o que interessa é somente manter os lucros à custa da exploração dos bancários e de toda a população.