Trabalhadores da Eletrobrás declaram greve contra a privatização

eletrobras_greve

Da redação – Nesta terça feira, 17 de julho, os trabalhadores e sindicalistas ligados à Eletrobras iniciaram uma greve contra a privatização da empresa e os ataques que os trabalhadores vem sofrendo. Reivindicam a demissão do atual presidente da empresa Wilson Ferreira Junior.

Os dirigentes e grevistas também vem lutando contra as políticas neoliberais do governo golpista de Michel Temer, que recaem diretamente sobre os trabalhadores através das ameaças de demissão e de não pagamento da participação nos lucros. Os trabalhadores já haviam paralisado as atividades durante três dias em junho, também na luta contra a destruição da empresa.

Segundo sindicalistas, a Eletrobras vem exigindo que os funcionários devolvam a PLR recebida durante os anos de 2012 e 2013, alegando que a empresa não teve lucro nesses dois anos. Também vem se intensificando as ameaças de não pagamento da PLR desse ano. Em comunicado os trabalhadores disseram que a greve visa garantir os direitos dos trabalhadores, mas também o da população em geral, pois a manutenção da empresa enquanto bem público permite maior acesso dos cidadãos aos bens e serviços produzidos por ela, segundo ele: “é importante os trabalhadores estarem se organizando, fazendo suas mobilizações, porque abrir mão dessas empresas públicas de setores estratégicos para o desenvolvimento econômico e social do país é delegar a nossa trajetória de desenvolvimento e os nossos interesses aos interesses estrangeiros, é abrir mão da soberania nacional”.