Trabalhadores dos Correios decidem Greve no dia 19 de julho

greve nos correios 4

Os trabalhadores dos Correios têm data do dia 19 de julho para realizar sua greve da campanha salarial de 2018/2019, conforme calendário aprovado no 13° Congresso da categoria (Contect) e publicação dos sindicatos para direção golpista da ECT (Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos).

A categoria está em sua campanha salarial, que tem como data base o mês de agosto, ou seja, até o dia 31 de julho os trabalhadores dos Correios e a direção da ECt precisam firmar um novo acordo coletivo de trabalho.

Os trabalhadores dos Correios, devido estar representados por uma direção sindical pelega, que usualmente convencionamos chamá-los de Bando dos Quatro (sindicalistas do PT, PCdoB, PSTU e diretoria do Sintect-MG – LPS), a reivindicação salarial apresentada à direção da ECT é a miséria de 8% de reajuste nos salários de todos os ecetistas, mesmo o trabalhador tendo perdido quase 15% só de pagamento em mensalidades no plano de saúde, devido decisão do TST (Tribunal Superior do Trabalho).

Obviamente que se os sindicalistas do Bando dos Quatro pede 8% de reajuste, estão esperando apenas um reajuste equivalente a inflação que não chega a 3%, o que hipoteticamente já é uma obrigação do patrão.

No entanto, mesmo os trabalhadores dos Correios tendo a consciência de que os seus representantes sindicais não são de nada, e sempre nos momentos cruciais da campanha, quando a categoria coloca a direção da ECT na parede, eles “roem a corda”, a greve nos Correios sempre acontece, já que a opressão na empresa é tão grande, que a maioria prefere sair em greve para mostrar a indignação com a direção da empresa.

Nesse sentido é preciso dar um caráter político para greve, ou seja, levar até os trabalhadores que tudo que está acontecendo nos Correios está acontecendo em outras categorias, como os petroleiros, eletricitários, bancários etc, pois trata-se da política do governo golpista que tirou um governo eleito (Dilma Rousseff do PT) e prendeu Lula para que possam vender o país e atacar os direitos dos Trabalhadores sem sofrer resistência do povo nas ruas.

É preciso criar comitês de luta contra o golpe e pela liberdade de Lula nos Correios, e mostrar a todos os ecetistas que sem derrubar os golpistas do governo federal, não será possível impedir a privatização dos Correios e a impedir os ataques aos direitos trabalhista dos ecetistas e de todos os trabalhadores no país.