Organizadas contra Bolsonaro: é preciso formar comitês dentro das torcidas para derrotar a extrema-direita

torcidas

Da redação – Nesta segunda-feira, dia 22 de outubro, 69 coletivos e torcidas organizadas vieram a público para demonstrar a sua rejeição total ao candidado fascista do PSL, Jair Bolsonaro. O movimento vem crescendo dentro e fora dos estádios e as torcidas organizadas, que já vinham se mobilizando contra a prisão de ilegal do ex-presidente Lula, tem tido uma atuação destacada na denuncia contra o Bolsonaro e o fascismo.

Dessa vez, as torcidas subiram no palco do teatro da PUC-SP durante ato de campanha do candidato petista Fernando Haddad erguendo bandeiras, faixas e cartazes e cantaram musicas de torcida contra Bolsonaro. As torcidas também elaboraram um manifesto contra o fascismo que foi entregue a Haddad e que expressa a posição dessas organizações a respeito do combate ao avanço da extrema-direita. O ato também contou com a presença marcante do ex-jogador e membro de destaque do movimento “Democracia Corinthiana”, Wladimir.

As organizadas são um amplo movimento popular que sofre com a perseguição tanto por parte da polícia quanto dos demais órgãos de repressão do Estado. As mais populares e organizadas, como a Gaviões da Fiel, já foram vitimas inúmeras vezes de ataques da polícia e da prisão arbitraria de seus dirigentes e lideranças. De acordo com as próprias organizadas, a posição de Bolsonaro contra todas as formas de “ativismo” inclui também as torcidas que tem uma forte atuação política dentro e fora dos estádios e que possuem um enorme poder de mobilização. As organizadas ainda citam as declarações de Major Olímpio, também do PSL e que foi eleito Senador, que pretende extinguir as torcidas organizadas.

Fato é que as torcidas organizadas representam, em alguma medida, um obstáculo para o avanço do programa golpista de Bolsonaro e do conjunto da direita, pois são capazes de organizar uma fração importante da classe operária por detrás de suas bandeiras. Por isso que a direita persegue e tenta acabar com o movimento, na tentativa de derrotar de conjunto as organizações da classe operária.

As organizações que participaram do ato estão ligadas aos seguintes clubes: Internacional: Força feminina colorada, Nação independente comando vermelho, Frente Inter antifascista, Super fico – Força independente colorada. Grêmio: Torcida independente máfia tricolor, Tribuna 77, Levante gremista, Grêmio antifascista, democracia gremista. Vasco: Força independente, Esquerda Vascaína. Corinthians: Gaviões da fiel, coletivo democracia corinthiana, MTR – movimento tradição e resistência – camisa 12, Grêmio recreativo e cultural coringão chopp torcida, Fiel torcida jovem camisa 12, Torcida fiel macabra. Palmeiras: Palmeiras antifascista (P16), Porcomunas. Flamengo: Nação 12. Santa Cruz: Coral Antifa, Movimento popular coral, Avante Santa Cruz – portão 10, Coletico democracia santacruzense. Sport: Antifa Sport. Naútico: Timbú antifa, Brigada popular alvirrubra. Cruzeiro: Máfia azul. ABC: Camisa 12, Torcida garra alvinegra. CSA: Torcida força azul, CSA antifa. Ceará: Movimento organizado força independente. Fortaleza: Leões da TUF. Ferroviário: Torcida falange coral. Guarani: Torcida jovem. Ponte Preta: Ponterror. Vitória: Brigada Mariguella, Vitória popular. Bahia: Frente esquadrão popular. América: Vanguarda vermelha. Caxias: Força independente falange grená. Sampaio Corrêa: Torcida tubarões da fiel. Inter de Santa Maria: T.O.I fanáticos da baixada. Botafogo da Paraíba: Torcida império alvinegro, Torcida jovem, Velha guarda da TJB. Remo: Torcida organizada Remoçada, Torcida organizada pavilhão 6, Remo antifa. Guarani (Minas Gerais):  Torcida organizada guaragolo – 1989. Sergipe: Torcida organizada esquadrão colorado. Santo André: Torcida esquadrão andreense 22. Catanduvense: Torcida comando catanduva. Independente de Limeira: Torcida guerreiros da nação galista. Primavera: Torcida terror fantasma. Paulista de Jundiaí: Torcida organizada raça tricolor. São Paulo (RS): Torcida organizada mancha rubro-verde. Sertãozinho: Torcida organizada raça grená. Noroeste: Torcida organizada falange vermelha. Brasil de Pelotas: Xavantes antifascistas. América: Meca antifa. Confiança: Confiança antifa. Treze: Treze antifa. Junventus (SP): Setor 2. Pelotas: Democracia Lobão. Torcidas Antifas Unidas – Nordeste.