Siga o DCO nas redes sociais

Esporte das massas populares
Torcida única e o temor da direita às mobilizações no futebol
PM, Ministério Público, CBF e STJD: uma frente única reacionária contra os direitos das torcidas organizadas
palmeiras
Esporte das massas populares
Torcida única e o temor da direita às mobilizações no futebol
PM, Ministério Público, CBF e STJD: uma frente única reacionária contra os direitos das torcidas organizadas
“Foto – Reprodução” – torcidas devem expressar livremente seus direitos
palmeiras
“Foto – Reprodução” – torcidas devem expressar livremente seus direitos

O Superior Tribunal de Justiça Desportiva confirmou na tarde de sábado, dia 29, a realização da partida entre Palmeiras x Flamengo, com torcida única – apenas a do mandante, o Palmeiras. A decisão do órgão de justiça atende a um pedido da Confederação Brasileira de Futebol, que por sua vez foi acionada pela reacionária Polícia Militar paulista e o Ministério Público Estadual. As alegações – que nada mais são do que pífios pretextos para avacalhar o espetáculo e cercear os direitos do torcedor – apresentadas para mais esta arbitrariedade e ataque às torcidas, como não poderia deixar de ser, foram informações que a PM disse possuir sobre hipóteses de brigas entre torcidas  marcadas e de possíveis ataques a ônibus com torcedores rubro-negros.

De nada valeram os esforços envidados pela diretoria do clube carioca, o Flamengo, no sentido de que a CBF revogasse a decisão, c a venda de apenas 10% dos ingressos para os torcedores rubro-negros. A decisão da entidade maior do futebol nacional também afirma que a próxima partida entre os clubes, quando o Flamengo for o mandante, também terá torcida única. Uma espécie de compensação do absurdo, que é reveladora do desatino que toma conta dos dirigentes do futebol brasileiro, completamente alheios aos verdadeiros interesses, não só dos clubes, mas principalmente dos torcedores.
Os pretextos podem ser muitos, vários até mesmo, mas a verdade é que cresce exponencialmente em todo o país os ataques perpetrados pelo Estado repressor contra todas as formas de organização popular, onde todo o peso do aparato jurídico, policial e estatal é utilizado para atacar cada vez mais os direitos democráticos do povo trabalhador e das massas populares.
O futebol é o esporte mais popular do país e as torcidas organizadas se tornaram,, de alguns anos para cá, um fator não só de grande influência política, mas de contestação aberta ao conjunto do regime burguês, cada vez mais opressor, excludente e repressor contra os explorados. Daí a necessidade da burguesia, da direita e agora da extrema direita em sufocar o grito e os direitos das torcidas, via leis reacionárias para suprimir e atacar não só os direitos, mas até mesmo a livre manifestação e expressão nos estádios, onde as ameaças estão presentes nas normas e nas restrições que serão impostas aos torcedores, uma espécie de código de conduta e comportamento para serem seguidas pelos torcedores, dentro e fora dos estádios.
As restrições e os cerceamentos cada vez maiores que vêm sendo impostos aos direitos democráticos da população (as torcidas organizadas expressam esse movimento das massas no sentido da sua organização independente) é parte da escalada reacionária-golpista que o regime dos exploradores querem impor ao país, como parte do projeto maior da extrema direita e do imperialismo em implantar no continente latino regimes de força verdadeiras ditaduras, um regime de terror contra os direitos sociais, contra os interesses dos povos, a favor dos capitalistas e da burguesia pró-imperialista.
Fazemos um chamados a todas as torcidas organizadas do país, de todos os clubes, para protestarem ativamente contra os planos reacionários da extrema direita e do regime burguês em seu conjunto, que deseja ver implantada no país um ditadura para sufocar a luta do povo trabalhador e das massas oprimidas.