Siga o DCO nas redes sociais

Direitistas da torcida da Lazio abrem faixa exaltando líder fascista Benito Mussolini
faixa
Direitistas da torcida da Lazio abrem faixa exaltando líder fascista Benito Mussolini
faixa

Em matéria veiculada esta semana nas páginas do Diário Causa Operária, denunciamos a ação fascista de uma parte da torcida do time da capital italiana, a Lazio, que em partida válida pela Copa da Itália, dirigiu injúrias e ataques racistas contra o jogador negro Bakayoko, meia atacante da equipe do Milan, da cidade de Milão, região norte da Itália.

Momentos antes do início desta partida, uma ala extremista da torcida da Lazio, conhecida por realizar ações de caráter fascista nos estádios e fora deles, abriu uma enorme faixa no centro de Milão, homenageando o líder fascista Benito Mussolini. A faixa trazia a inscrição “Honra a Benito Mussolini”. O grupo autor da ação é conhecido pelo nome de “Irriducibili”. O ato foi realizado no local conhecido como Piazza Loreto, onde o corpo do ditador fascista foi exposto após sua morte.

A ação dos fascistas da Lazio aconteceu na véspera de uma importante data do calendário histórico e político da Itália. O dia 25 de abril é conhecido com o “Dia da Libertação”, quando os italianos comemoram a derrota do regime fascista no país. A data também é comemorada em outro país europeu, Portugal, marcando o início da “Revolução dos Cravos”, que impôs a derrota ao regime fascista de Salazar.

A verdade é que cresce exponencialmente as manifestações da extrema direita no velho continente, com ênfase nos países onde ali os fascistas já se instalaram no poder, como é o caso da própria Itália, com a vitória, nas últimas eleições, da Liga Norte, em coalizão com os populistas do Movimento Cinco Estrelas.

A esquerda e os movimentos antifascistas no país europeu devem repudiar energicamente as ações fascistóides dos grupos extremistas, estejam eles organizados nas torcidas de futebol, nas escolas, nas fábricas, nos sindicatos. Os movimentos de defesa dos oprimidos atacados pelo fascismo; negros, imigrantes, muçulmanos devem organizar atos massivos em todo o país de repúdio ao avanço da extrema direita na Itália e em todo o continente europeu.