Nesta sexta
Presencialmente ou de qualquer lugar do mundo, participe do ato classista convocado pelo PCO, Comitês de Luta, Corrente Sindical Nacional Causa Operária e organizações de luta
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
1º_de_maio-1
Ato contra os ataques de Bolsonaro. Foto: DCO |

Neste 1º de Maio, Dia Internacional de Luta dos Trabalhadores, nós do Partido da Causa Operária, junto com companheiros dos Comitês de Luta, dos Conselhos Populares e de vários setores classistas da esquerda, vamos realizar um importantíssimo ato que fará jus à memória dos mártires de Chicago e a todos os que tombaram na luta pelas reivindicações da classe operária em todo o mundo; ato esse que principalmente se posicionará da forma necessária para a classe trabalhadora nesse momento de enorme dor e sofrimento, quando, por conta da crise histórica do capitalismo, centenas de milhares de pessoas – em sua esmagadora maioria, proletários e de outras camadas exploradas – estão morrendo, vítimas de um genocídio organizado pelos capitalistas e seus governos que destruíram a maioria dos sistemas de saúde pública e, em meio à matança atual, se mostram – como sempre – mais preocupados em “salvarem” seus lucros do que os milhões de pessoas atingidos pelo covil-19.

Como nunca, ante o avanço da crise, é preciso realizar um um ato de classe, de luta contra os patrões e seus governos que estão organizando o genocídio do povo pobre e trabalhador. No Brasil, a classe operária precisa de um Ato que expresse a necessária luta contra o conjunto do regime golpista, tendo à frente o presidente ilegítimo Jair Bolsonaro e os governadores de direita, que não adotaram nenhuma medida para impedir ou parar a matança, e que agem como verdadeiros carrascos e coveiros do povo.

Diante disso, o Ato classista e de luta que estamos organizando vai ser também uma tribuna para debater a necessária organização e mobilização independentes dos explorados diante da crise. Colocar em destaque o programa próprio dos trabalhadores diante da situação, ressaltar a necessidade de multiplicação dos Comitês Populares nos bairros operários, de reabrir os sindicatos, de realizar uma grande Plenária Nacional convocada pela CUT para reunir a esquerda, as principais organizações dos trabalhadores com o propósito de deliberar um plano de mobilização contra o genocídio promovido pela direita e por Bolsonaro.

Por isso mesmo, o Ato a ser realizado e transmitido nesta sexta, pela Causa Operária TV, a partir das 15h, se opõe pelo vértice à política imposta de “ato unificado” das “centrais” para o qual as alas mais reacionárias e pelegas da burocracia Sindical convidaram alguns dos maiores inimigos da classe trabalhadora brasileira, notórios e ativos defensores dos interesses patronais e do golpe de Estado que derrubou a presidenta Dilma, prendeu e condenou o ex-presidente Lula, “elegeu” Bolsonaro e continua atacando duramente os trabalhadores, como o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB), o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), o presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), José Dias Toffoli. Anunciam também  que “foram convidados”. e “deverão falar”,  os governadores Wilson Witzel (PSC) e João Doria (PSDB), em mensagens exibidas durante a live no dia 1º de maio.

Esses setores, há muito chafurdados na lama da aliança com a direita, trabalharam para arrastar para essa empreitada a CUT, Central que lutou contra o golpe, que defendeu a liberdade de Lula e que aprovou em seu congresso a decisão de lutar pelo “fim do governo Bolsonaro” e que tem em suas bases ampla maioria a favor do “Fora Bolsonaro”.

Por isso, companheiro leitor, nesse dia histórico de luta da classe trabalhadora mundial e, quando mais do que nunca, é preciso realizar um um ato de classe, de luta contra os patrões e seus governos que estão organizando o genocídio do povo pobre e trabalhador, chamamos os trabalhadores e a esquerda classista a se somar (presencialmente ou pela internet, de qualquer lugar do mundo) ao um ato público, de verdade, com as pessoas in loco e com transmissão on line do 1º de Maio classista, sem golpistas, por Fora Bolsonaro.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas