Professores
Nesta quarta-feira (4), um importante ato presencial está sendo chamado pelo Sindicato dos Professores do Paraná contra as medidas de ataque à educação de Ratinho Jr.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
prof parana ato (1)
Professores no Paraná | Foto: Reprodução

Os professores do Paraná organizados pelo Sindicato da categoria, a APP-Sindicato, de forma correta, estão conclamando toda a categoria a lutar contra o governo fascista de Ratinho Jr.

O governo de Ratinho Jr. (PSD) e seu secretário de educação Renato Feder tentam impor a militarização de mais de 216 escolas estaduais no Paraná, a ampliação da terceirização na educação pública paranaense, com a terceirização dos(as) Funcionários(as) de Escola, a prova para Profissionais do Processo Seletivo Simplificado (PSS). Além desses absurdos ainda há o congelamento de promoções e progressões, as alterações na lei de eleição para diretores(as) de escola, que visa acabar com este importante recurso e colocar de volta a escolha de diretores de escola nas mãos dos coronéis locais e da burguesia paranaense, para que os diretores se transformem em verdadeiros capatazes contra o professorado paranaense e a pressão pela volta às aulas presenciais extracurriculares no período de pandemia.

Os professores denunciam também que sequer há investimentos nas escolas da rede pública em infraestrutura para quando a pandemia passar, o que dirá, nos dias de hoje.

A tentativa do governador Fascista com a militarização das escolas é impor uma educação opressora que coibirá a liberdade de ser e de raciocinar como também de desenvolver o senso crítico dos jovens, transformando-os, no futuro, em meros serviçais. A categoria dos professores paranaenses deixa bem claro ao governo de Ratinho Jr. e aos militares que a função da educação cabe aos educadores, os quais são preparados para isso, já os militares, sua função é outra, voltem para suas casernas, pois existem centenas de frentes e problemas sociais a serem implementados a quem quiser ocupar seu tempo de forma digna. A Educação cabe aos educadores.

Com todos estes ataques de conjunto o interesse criminoso do governador fascista é encaminhar a privatização da educação no Estado, servindo a quem enxerga as escolas somente como uma oportunidade de aferir lucros, e impor os projetos político-partidários de sua base de apoio fascista.

Frente a tudo isso a APP-Sindicato tomou a correta decisão de na próxima quarta feira convocar todos os professores do Estado, a se organizarem em numerosas caravanas e se dirigirem para a capital do Estado na próxima quarta-feira, dia 4, em que está marcada reunião entre os(as) trabalhadores(as), o Secretário Renato Feder e a Casa Civil. O Presidente do sindicato, Professor Hermes Leão conclamou desde a semana passada a categoria para que convoque amplamente através das redes sociais até o dia do ato, pois é preciso que a categoria se mantenha mobilizada e que compareça em massa no ato, em frente ao Palácio Iguaçu.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas