“Todo poder aos Juristas”: Mourão quer nova Constituição sem povo escolher

Mourão

Da redação – Como este diário vem alertando, os militares estão avançando dentro das instituições burguesas e fora delas na ameaça de um golpe militar contra o povo. Neste sentido, mais uma prova vem para somar no alerta aos trabalhadores, quando, na tarde desta quinta-feira (13), em palestra no Instituto de Engenharia do Paraná, Curitiba (PR), o general Hamilton Mourão (PRTB), vice-candidato de Jair Bolsonaro à Presidência da República pelo PSL, defendeu abertamente que a Constituição “uma nova Constituição para o Brasil”, é claro, feita pelos crápulas torturadores, os militares.  

“Nossa constituição é extensa demais, devia ser só princípios e valores. O resto, horário de trabalho dos bancários, se os juros devem ser tabelados, isso é por lei ordinária […] Não precisa de Constituinte. Fazemos um conselho de notáveis e depois submetemos a plebiscito. Uma constituição não precisa ser feita por eleitos pelo povo”, afirmou o fascista sem a menor preocupação com a cláusula pétrea do Artigo 1: “Parágrafo único. Todo o poder emana do povo, que o exerce por meio de representantes eleitos ou diretamente, nos termos desta Constituição”.

As afirmações do fascista na palestra, foram feitas com o mínimo de “cuidado”, para não dizer, ainda, que os militares devem tomar o poder, fechar o Congresso e caçar todas as organizações de trabalhadores, como os inimigos do povo fazem historicamente para torturar os “comunistas”. Dessa vez o general decidiu fingir ser um tipo bizarro de “democrata”, dizendo que a Carta deve ser mais “enxuta”, devendo conter apenas princípios e valores. Essas “necessidades extras”, seriam eleitas em plebiscito – que não se sabe como seria, já que a “proposta dura” é acabar com eleições diretas dos representantes do povo -, como nos EUA, o velho discurso dos serviçais “lambe botas” do imperialismo e para tal finalidade, não seria necessário convocar uma nova constituinte, pois essa “Constituição” poderia ser elaborada por um “conselho de notáveis escolhido pelo presidente” – esse, é claro, ditado pelos milicos – e tutelado, é claro, pelos militares. Seria uma ditadura bem disfarçada de democracia.

Temos que evidenciar aqui algumas meias palavras e muitos fatos escondidos pelo general. Primeiro que, o golpe contra Dilma Rousseff (PT), que está destruindo a Constituição, com uma ditadura do judiciário que todo dia passa por cima da lei, que rasgou a CLT e etc, foi arquitetado pelos militares, como historicamente acontece em todos os países onde o imperialismo tem interesses econômicos e derruba governos. Nenhum golpe de estado é realizado sem militares traidores, comprados, por baixo dos panos. Outro ponto a ser assinalado, é que, isso não é um mero discurso, e sim, os fascistas já estão colocando isso em prática como mais uma etapa de golpe caso seja necessário controlar a massa revoltada com Lula fora das eleições, colocando militares em pontos estratégicos do STF, lançando dezenas de candidatos e ameaçando o golpe militar nacionalmente em tv aberta.

Não satisfeito, Mourão também comentou as declarações do candidato a governador do Paraná pelo seu partido, Geonísio Marinho, abrindo suspeita de fraudes nas urnas eletrônicas. Ameaçando mais uma vez, disse que se os militares do PRTB identificarem indícios de manipulação dos resultados, haverá intervenção. “Existe uma desconfiança das urnas por uma questão muito clara, não existe auditoria das urnas. Você não tem certeza se teu voto foi computado. Então existe essa teoria da conspiração, mas não existe possibilidade de intervenção”. Para finalizar, trouxe o fato de que Bolsonaro foi o deputado mais votado nas últimas eleições, e comentou: “é muito difícil fraudar a eleição proporcional, mas a eleição majoritária tem possibilidade”, mas, depois de todas as ameaças, “garantiu” que a chapa respeitará o resultado das urnas, o que deixa claro que irão comandar as eleições em todo o país e que estão sob o controle do país.

É preciso reagir imediatamente, denunciar amplamente e ir para as ruas de todo o país contra o fascismo!