Entrevista
O candidato à prefeitura de Araraquara pelo Partido da Causa Operaria explica os pontos centrais do programa partidário e sua atuação como militante
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
candidato-do-pco-defende-fora-bolsonaro-y8vG
Tiago Pires, militante do Partido da Causa Operária em Araraquara, interior de São Paulo. | Reprodução.

Nesta sexta (6), o candidato a prefeito de Araraquara pelo Partido da Causa Operária (PCO), companheiro Tiago Pires, concedeu uma entrevista ao DCO onde fala como conheceu e ingressou no Partido, qual o programa político que defende para as eleições municipais, a luta pelas reivindicações transitórias dos negros, o ativismo político realizado na cidade de Araraquara e o andamento das atividades da Campanha Eleitoral. Pires é bancário e tem 35 anos.

Diário Causa Operária: Qual o objetivo do partido em lançar sua candidatura?

Tiago Pires: Nós apresentamos essa candidatura não no sentido de criar qualquer ilusão com as eleições e também não se trata de uma candidatura individual. Nós não somos candidatos de nós mesmos e sim candidatos do PCO. Usamos as eleições como uma tribuna para fazer a propaganda do nosso programa revolucionário: salário, trabalho e terra. Defendemos a Revolução, o Governo Operário e o Comunismo

Diário Causa Operária: Como você se iniciou na política e conheceu o Partido da Causa Operária?

Tiago Pires: Eu conheci o Partido da Causa Operária em 2015, quando estava em marcha o golpe contra a presidenta Dilma Rousseff. Conheci através do trabalho militante do Partido, recebi um panfleto onde se denunciava o golpe que estava em marcha no país. Fiquei fora do país por 2 anos, mantive contato com o PCO, pude analisar toda a situação golpista que se desenvolvia também na Argentina. Voltei para o Brasil em 2017 já para militar no PCO. Junto com os companheiros construímos o Comitê de Luta contra o Golpe em Araraquara, organização política de maior atividade nos últimos anos na cidade. Nós realizamos diversas caravanas para Brasília para defender o “Lula ou nada”, para São Paulo lutar contra o avanço do fascismo e pela liberdade do Lula em Curitiba. Sou militante organizado em célula desde 2018, milito também na Corrente Sindical Bancários em Luta e no Coletivo de Negros João Cândido do PCO.

Diário Causa Operária: Qual o programa do PCO para as eleições municipais?

Tiago Pires: O PCO participa das eleições municipais para denunciar o golpe de Estado dado no país, que tem destruído os direitos dos trabalhadores, precarizado as condições de vida de toda a população. Nós usamos das eleições para fazer uma tribuna pelo Fora Bolsonaro e todos os golpistas e também uma tribuna por uma unidade de toda a esquerda em torno da candidatura do Lula em 2022, que só pode acontecer através de uma mobilização dos setores esmagados e da esquerda organizados nos sindicatos, comitês de luta, conselhos populares, para garantir os direitos políticos do Lula e assim garantir que ele seja candidato e que seja eleito.

Diário Causa Operária: Fale um pouco da questão dos negros, quais reivindicações o PCO propõe?

Tiago Pires: Nós colocamos essa candidatura no sentido de chamar o povo negro se juntar ao PCO e integrar um partido revolucionário, um partido que pode levar adiante a luta pelas demandas históricas dos negros, como o fim da Polícia Militar, fim dos presídios, fim do massacre da juventude negra e seu encarceramento massivo nos campos de concentração que são os presídios brasileiros.  Nós não podemos aceitar pequenas migalhas, temos que lutar por uma emancipação completa da população negra e isso só pode acontecer com a luta pelo socialismo. Então, nós convocamos toda a população negra a fazer uma luta verdadeira pelas suas reivindicações e direitos, pelas condições de vida de toda a população negra. Não podemos aceitar as poucas migalhas que sobram para nós, temos que tomar em nossas mãos nosso próprio destino.

Diário Causa Operária: Como é a intervenção do PCO na cidade de Araraquara. O que já foi feito?

Tiago Pires: Nós do PCO fazemos uma unidade com a esquerda, com o PT e com ativistas independentes, com toda a esquerda dentro do Comitê de Luta contra o Golpe. Nós realizamos as mais diversas atividades, desde caravanas por todo o país até atos locais pelo Fora Bolsonaro. Realizamos também diversas atividades de campanha, eventos como feijoadas, buscando integrar as pessoas na luta pelo fim do golpe. Realizamos panfletagens e vendas de jornais nos bairros, panfletamos no centro da cidade, distribuímos adesivos. É uma atividade intensa e constante na cidade a fim de esclarecer a população araraquarense.

Diário Causa Operária: Como está o calendário eleitoral, como estão sendo feitas as atividades do Comitê de Campanha?

Tiago Pires: Nós estamos nas ruas todos os dias. Fazemos as panfletagens tanto no período da manhã quanto à tarde, realizamos e participamos das atividades do Comitê de Luta Contra o Golpe. Neste próximo dia 07 de novembro, vamos realizar o 8o ato Fora Bolsonaro de Araraquara. Temos dado nossa contribuição para o Diário Causa Operária, participado em diversas entrevistas com os mais diversos setores que nos convidam com o objetivo de conhecer o PCO. Por outro lado, temos uma situação de bastante ataque da imprensa que faz parte da fraude eleitoral, que disse que nós não concorreríamos às eleições, depois tirou nosso nome das pesquisas eleitorais, nos tirou dos debates. Há uma resistência da burguesia como um todo em relação ao nosso programa, proposta e candidatura.

Diário causa Operária: Muito bem, Tiago. Faça suas considerações finais.

Tiago Pires: Nós participamos das eleições para denunciar o golpe de Estado, denunciar a fraude eleitoral que foi montada para as eleições de 2020, onde Bolsonaro coloca as Forças Armadas para controlar a eleição. Não temos qualquer tempo de TV ou rádio, por causa de uma cláusula de barreira que deixa de fora dos debates dez partidos políticos. Convocamos a população a derrotar o golpe no país, a lutar para que o Lula seja presidente em 2022 e convocamos todos a se filiar e militar no Partido da Causa Operária, fazer parte dos nossos coletivos, como o de mulheres Rosa Luxemburgo, coletivo de negros João Cândido, coletivo de juventude Aliança da Juventude Revolucionária -AJR, correntes sindicais Educadores em Luta, Ecetistas em Luta, Bancários em Luta, Metalúrgicos em Luta, o coletivo de artistas por uma arte revolucionária – GARI. Convocamos os mais amplos setores a construir o PCO e levar essa luta adiante nas ruas, para que a gente possa derrotar o governo Bolsonaro, pôr fim ao golpe, chamar o Congresso do Povo e construir um governo verdadeiramente dos trabalhadores.

Gostaria de convidar a população a conhecer toda nossa imprensa, o Diário da Causa Operária, Causa Operária TV e comprar o Jornal da Causa Operária, vendido pelos militantes nas ruas de todo o país.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas