Terrorismo estatal: 25 anos da chacina da Candelária

242804

Com a proximidade da data do dia 23 de julho, dia em que se completam 25 anos da Chacina da Candelária, o movimento “Candelária Nunca Mais” o mesmo é organizado em defesa dos direitos da criança e do adolescente em conjunto com a Anistia Internacional, realizam atos, além do próprio Rio também acontecem em: São Paulo, Pará, Ceará e Minas Gerais.

A chacina que culminou na morte de 8 crianças e adolescentes em frente a igreja Candelária no Rio de Janeiro, tem agora seu marco de 25 anos de uma ação brutal efetivada pela polícia terrorista que há no Brasil. O fato demonstra de maneira clara o modus operandi da polícia, os jovens que foram mortos na madrugada do dia 23 de julho de 1993 foram alvejados pelos policiais de maneira brutal, sem qualquer tipo de defesa.

Isso denota que, a polícia que há no país, é uma verdadeira máquina de matar, e que tem como alvo principal a população negra e pobre, aqui em especial, está aquela parcela da população que está a margem e se encontra em situação de extrema vulnerabilidade e que são impedidos de ter qualquer reação diante desse aparato repressor do estado.

Além da própria realização do ato em função do que aconteceu a 25 anos atrás, o ato é uma ferramenta de denúncia dos assassinatos desses jovens e das contínuas ações do tipo fascistas impetrada pela polícia brasileira. É preciso dizer também, que no momento em que  se organizavam para ser feito o evento na última quinta feira, jovens que estavam pelos arredores da Candelária foram removidos de forma truculenta por guardas, onde além de serem retirados tiveram grande maioria de seus pertences apreendidos. Essa é a política onde se estabelece um clima de total terror contra a população.

Portanto, é preciso reafirmar a colocação de que é preciso pôr fim ao aparato repressor da polícia. Pelo direito da auto organização da população em prol da sua segurança, pela formação de milícias populares organizadas pelos trabalhadores.