Capachos do imperialismo
O senado federal aprovou a venda de grandes áreas para empresas e pessoas estrangeiras, numa medida que vai agravar os conflitos no campo
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
bolsonaro-e-nabhan-garcia (1)
Governo Bolsonaro está criando as condições para entregar as terras do país ao imperialismo | Foto: reprodução

Na última terça-feira (15), os golpistas no Senado Federal aprovaram o Projeto de Lei (PL) 2.963/2019 que autoriza a compra de terras brasileiras, por pessoas físicas ou jurídicas estrangeiras, sendo que essas áreas podem chegar a até 25% da área de municípios brasileiros. O Projeto apresentado pelo senador Irajá Abreu (PSD), e apoiado pela direita no ano passado é um enorme ataque contra a soberania nacional e irá aumentar ainda mais os conflitos no campo.

A medida pode dar quase ¼ do país para o imperialismo, ou 2,2 milhões de hectares de terras férteis. Países desenvolvidos possuem leis rígidas para evitar a compra de terras por estrangeiros, pois é claro que pode trazer graves consequências sociais e perda da soberania.

A lei que permite venda de terras a estrangeiros é esperada pelos países imperialistas há anos. Países imperialistas estão já mostrando interesse na aprovação e já procuram imobiliárias nas regiões da Amazônia, Cerrado e outras áreas de fronteira agrícola.

O Brasil é um dos países com maior área agricultável do mundo e o imperialismo está de olho nesse enorme patrimônio e de grande interesse para os monopólios da alimentação. A entrega dessas terras aos estrangeiros irá trazer as piores consequências para o Brasil, desde aumento de conflitos de terra até a perda da soberania nacional e controle da produção de alimentos e matéria prima.

A entrega das terras as empresas estrangeiras aumentarão os preços das terras e afetará duramente o processo de reforma agrária e demarcações de terras de comunidades tradicionais, que sempre foi extremamente limitado. Isso porque o governo federal, através do Incra, basicamente trabalha na desapropriação de fazendas com indenização dos latifundiários para o assentamento das famílias sem-terra. Com valores das terras elevados, as condições de aquisição dessas terras pelo governo vai emperrar. Principalmente depois dos cortes no orçamento realizado pelo governo golpista.

A consequência da entrega das terras brasileiras para os estrangeiros é de aumentar a concentração de terras e a pressão dos latifundiários em assentamentos e comunidades tradicionais, com o agravamento dos conflitos no campo. Nesse momento, uma outra consequência dessa política é o aumento do preços dos alimentos, pois o agronegócio nas mãos dos imperialistas produzirão de acordo com os interesses desses países e não da população brasileira.

O Regime político brasileiro controlado pela direita é de tipo colonial e a aprovação dessa lei somente confirma isso. Jair Bolsonaro, os militares e a direita ‘civilizada’ não tem nada de nacionalistas e estão a serviço do imperialismo. Um excelente exemplo é o ex-juiz Sérgio Moro e a operação Lava Jato.

A aprovação é mais um ataque à soberania nacional e mostra o agravamento da política de ataques da direita contra a população e, em especial, aos trabalhadores que lutam por um pedaço de terra para trabalhar e produzir.

Há um enorme interesse do imperialismo nesse enorme patrimônio e a transformação no Brasil em uma nova colônia desses países. É preciso mobilizar os trabalhadores sem terra, indígenas e quilombolas para derrubar Bolsonaro e a direita golpista do poder.

 

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas