Incorporar à Petrobrás
Como forma de sucatear uma das maiores estatais do país, a Petrobrás, governo golpista usa de terceirizadas que demitem os trabalhadores e não pagam verbas rescisórias
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
plataforma_p-52-petrobras_wikicommons-780x440
Plataforma 52 da Petrobrás | Foto: Reprodução

Com o início da pandemia, a terceirizada Elfe Engenharia, com a alegação de dificuldades começou abrir um processo de demissões, a empresa inclusive, vinha atrasando os salários e vale alimentação.

A Elfe Engenharia já estava se preparando para dar o calote ao conjunto dos trabalhadores e logo em seguida, no final de março, mais de 300 trabalhadores foram demitidos.

Conforme artigo de 06 de abril da página da FUP reproduziu a informações do Click Petróleo, onde o Grupo Cobra que possui contratos na área de manutenção também demitiu cerca de 25 trabalhadores de sua base onshore em Macaé, e há relatos dos trabalhadores que mais 150, que atuam em operações offshore também terão mesmo destino, já que os contratos destes são intermitentes e não há previsão de retomada por parte da Petrobras.

As homologações, no entanto ocorreram em 16 de abril e desde então, uma parcela ínfima de trabalhadores conseguiram receber uma ou outra das 12 parcelas, enquanto que a maioria está numa situação de penúria por não receberem, inclusive, os salários de março e o vale alimentação entrou nas parcelas.

Quatro meses se passaram e a situação permanece com a Elfe dando calote nos trabalhadores, muitos inclusive filiados ao Sindipetro-NF.

A Elfe através de uma desculpa estapafúrdia diz, ao ser consultada pelos trabalhadores, que estão liberando os pagamentos de acordo com o fluxo de caixa, entretanto essa explicação não contemplou os trabalhadores. Ou seja, fica evidente que os patrões na realidade, não estão nem um pouco interessados em efetuar o pagamento dos trabalhadores, deixando-os sem como sobreviver, principalmente diante do período da pandemia do coronavírus.

O governo golpista do Bolsonaro está colocando todo o esforço pela privatização de todo patrimônio publico, inclusive de uma das maiores estatais do país, aumentando o trabalho terceirizado e, quando bem entende cancela os contratos, o que afeta a situação dos trabalhadores, nesse caso, da Elfe, mas de várias outras empresas.

É preciso travar uma luta para que todos os trabalhadores sejam incorporados à Petrobras, bem como, pela não privatização dessa empresa, e de todas as estatais, como os Correios, Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Eletrobrás, etc. e reestatização das que já foram entregues aos capitalistas, como Vale do Rio Doce, Companhia Siderúrgica Nacional (CSN), entre outras.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas