Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit

Tucanos prometem realizar todas as privatizações e as reformas do Estado que os golpistas anteriores não conseguiram realizar. O coordenador do programa econômico do tucano Geraldo Alckmin (PSDB), Pérsio Arida afirma: “vamos acabar com as empresas publicas em pouco tempo”. Ou seja, estão anunciando a catástrofe econômica contra o povo.

As poucas empresas públicas que restaram a ser privatizadas, depois da devassa feita pelos golpistas do governo Temer e também no governo FHC, serão liquidadas logo no primeiro ano de um possível governo tucano. “Reformas e privatizações devem ser feitas já no 1º ano de governo”, diz Arida. Pressa é necessária, segundo ele, para evitar o ‘inevitável desgaste político’ dos anos seguintes.

Entrevistado pelo jornal golpista, o economista mostra que o eventual governo de Alckimin vai entregar o patrimônio nacional aos grandes capitalistas.

Persio Arida afirma que o tucano, uma vez eleito, vai tocar nos primeiros meses de governo um pacote com privatizações e as reformas do Estado, da Previdência e tributária. Explica que a pressa é necessária para tirar vantagem do capital político conquistado nas urnas, se é que vão conquistar.

O economista afirma que a campanha de Geraldo Alckmin buscará o caminho do “centro democrático” tanto no campo econômico quando no dos costumes. Segundo ele, o tucano manterá a disposição de defender temas impopulares, como a reforma da Previdência, e não cederá a apelos populistas na área da segurança.

“Haverá uma janela de oportunidade extraordinária no Brasil, que é a legitimidade de uma eleição presidencial. Isso dura seis meses, um ano. Depois, há o inevitável desgaste político. É importante ter tudo pronto antes da posse para não perder tempo. É possível aprovar as reformas da Previdência e tributária. As privatizações têm de começar no primeiro dia. Tem de aproveitar essa janela. A aposta é que há um eleitorado maduro no Brasil”, disse, zombando do povo brasileiro.

“A direção é clara: o Estado tem de deixar de ser empresário. O que as pessoas querem hoje e o que Brasil precisa é de uma economia dinâmica. Para isso, não precisa de estatal.”

Fica claro que a direita tucana quer implementar o “estado mínimo” (que significa “capitalistas estrangeiros com o máximo dos lucros”) a qualquer custo e acabar com os direitos sociais adquiridos até aqui.

O golpe se aprofunda com o governo golpista de Temer e eles tentam colocar no poder um substituto que avance em todas as maldades que o “Vampirão” não conseguiu efetivar.

O programa da direita golpista é profundamente anti-povo e anti-nacional. Diante das ameaças dos golpistas é necessário lutar contra o golpe, a campanha contra a prisão de Lula através de manifestações de rua enfrentando a direita.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas