Temer, campeão do desemprego, promete emprego para incentivar crise golpista na Venezuela

temer golpista

Michel Temer, o presidente que tem menos (e talvez bem menos) do que 3% de apoio ao seu governo golpista,  segue com a farsa humanitária com os refugiados venezuelanos em Roraima, indicando como “solução” o seu deslocamento sem qualquer preparo efeito, para o Sul e Sudeste no país.

Na maioria dos casos, esses “refugiados”, na realidade, são venezuelanos da pequena e média burguesia que cooperam com o imperialismo que boicota o próprio país de origem e uma pequena parte da população pobre ludibriada pela propaganda enganosa do imperialismo que “vende” a fuga do país vizinho para o Brasil como uma saída diante da crise provoca pela campanha golpista do imperialismo.

É irônico que se inclua a “oportunidade de empregos” na justificativa de Temer de deslocamento dos estrangeiros, quando o presidente golpista só garante desemprego aos brasileiros. Quando desempregados e subempregados já somam mais de 27,5 milhões no Brasil, cerca de 90% de toda a população venezuelana.

Interessante salientar, também, que esse “escândalo humanitário” ocorreu convenientemente logo após a visita de James Mattis, Secretário de Defesa dos EUA, ao Brasil. Na situação, Mattis deixou claro que “é chamado quando a diplomacia falha”, referindo-se a situação da Venezuela.

São muitos e claros os sinais de que a crise na fronteira entre Brasil e Venezuela está sendo plantada e incentivada pela direita para dar “munição” à verdadeira guerra que o imperialismo está levando adiante contra o povo venezuelano, visando derrubar o governo Maduro, eleito pela imensa maioria do povo venezuelano, com o apoio de governos capachos da região, como o da Colômbia e Brasil.