Técnico de Senegal denuncia racismo no futebol: “precisamos de mais técnicos negros”

aliou-cisse-senegal-london-04232012_1t5rcc46b81x41cl3enqjh27an

Único técnico negro dentre as 32 seleções da Copa do mundo, o senegalês Aliou Cissé, que comanda a equipe de seu país, denuncia ele mesmo o caráter racista da organização do futebol mundial. A organização do futebol mundial é controlada pelos países e por grandes corporações imperialistas, reproduzindo assim a opressão do negro e por consequência racismo, tal qual na sociedade dentro do futebol.

Embora a contribuição do negro, em particular o brasileiro, seja gigantesca, tanto dentro de campo, quanto fora dele,  na organização, na tática etc., o negro não encontra o mesmo espaço, que conquistou dentro de campo, nos postos de comando dentro do futebol. O preconceito de cor, como parte de um sistema de dominação, atua independentemente da competência etc., como um elemento de impedimento para que o negro chegue a postos de comando dentro das estruturas do futebol Internacional, é logicamente em geral.

Cissé afirmou que é triste ser o único negro como técnico na copa e que “precisamos mais técnicos negros”, sem dúvida o precisamos. Mas precisamos conjuntamente travar ferrenha luta contra a opressão do negro, em defesa dos direitos democráticos desta população fora da África e lutar pela soberania e desenvolvimento para os países da África.