Covid-19
É uma política fascista que ao culpar a população, responsabilizando-a pelo aumento do contágio, autoriza o uso da força para reprimir a população
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
decreto toque de recolher em sc_20
Toque de recolher em Santa Catararina | Reprodução
decreto toque de recolher em sc_20
Toque de recolher em Santa Catararina | Reprodução

Começou a vigorar neste sábado decreto que determina o toque de recolher em todas as cidades Santa Catarina pelo período de 15 dias como medida de enfrentamento ao novo coronavírus. O decreto foi assinado na sexta-feira (4), pelo governador direitista Carlos Moisés da Silva (PSL).

O documento restringe a circulação e a aglomeração de pessoas, diariamente, da meia-noite às 5 horas, em espaços públicos, privados e nas ruas. A norma abre exceção apenas para a circulação de pessoas necessárias ao atendimento de situação de emergência e aquelas que fazem o deslocamento entre a casa e o trabalho, durante a madrugada. Também ficou definido manter o funcionamento de atividades e serviços considerados essenciais, definidos pelo estado em decreto anterior.

Os serviços não essenciais têm até a meia-noite, como horário limite, para o funcionamento das atividades. Em restaurantes, por exemplo, o ingresso de novos clientes será permitido até as 23h e os estabelecimentos devem estar fechados à meia-noite. Essas restrições, na madrugada, são justificadas pelo secretário de saúde do estado, por causa das supostas festas irregulares, que seriam responsáveis pelo aumento de transmissão de casos. A autorização para a circulação dos ônibus municipais foi mantida, no entanto, com ocupação máxima de 70% da capacidade do veículo. O mesmo vale para o transporte intermunicipal e interestadual.

Para fiscalizar o cumprimento do decreto o governo fascista anunciou que haverá uma força-tarefa em todas as cidades, mas não esclareceu a forma como ocorrerá a fiscalização e se haverá punição aos que descumprirem. Durante webconferência promovida pela Secretaria de Estado da Saúde na sexta-feira (4), foi denominado o Grupo de Ações Coordenadas (GRAC), formado pelas forças de segurança do estado, representantes de entidades e das vigilâncias sanitárias municipais.

Durante as eleições municipais a questão da pandemia do Coronavírus foi praticamente ignorada pela mídia golpista, que não só escondeu os dados, como fez companha para volta às aulas, às compras e ao trabalho. Passada as eleições, voltaram a divulgar os números da Covid-19, que mesmo fraudados e subnotificados mostram como os números da pandemia de fato não melhoraram e sim pioraram. A aparente piora nas estatísticas é resultado direto da política de abertura e da completa inação, falta de políticas reais para resolver a situação de saúde.

Essa estratégia de esconder a crise sanitária, para criar a ilusão de que está tudo bem, de que as eleições resolverão os problemas locais, acaba por manter a população alienada e esperançosa, para depois, fazer alarde de uma segunda onda de contaminação e com isso, justificar e aumentar as medidas de repressão sobre a população.

O toque de recolher é uma política fascista que ao culpar a população, responsabilizando-a  pelo aumento do contágio, como se ela não tivesse consciência, acaba por retirar do Estado e de seus representantes a responsabilidade pelo controle da pandemia, e ainda autoriza o uso da força sobre a população.  Quando o controle da pandemia, deveria ser responsabilidade primeira do Estado, feita por meio do fortalecimento do SUS e o investimento em políticas sociais para os mais vulneráveis, o que se tem dos políticos burgueses e fascistas, como o governados de Santa Catarina é uma política genocida e ditatorial. Não implementou nenhuma medida, incentivou as aglomerações e agora poderá violentar e punir quem descumprir as normas do decreto.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas