Greve dos eletricitários força suspensão do leilão da Eletrobras

eletrobras-1200x800_c

O leilão de seis distribuidoras da Eletrobras nos estados do Norte e Nordeste do país foram oficialmente suspensos por tempo indeterminado. Essa parada no processo de privatização da empresa decorre da forte pressão exercida pelos eletricitários em greve, implicando na divisão do Congresso em torno de uma medida cada vez mais impopular.

Mesmo com a suspensão, os eletricitários mantêm seu estado de greve: “O governo, vendo que estava enfraquecido, adotou a mesma estratégia para a Petrobras: fatiar a empresa. O objetivo principal é barrar a privatização das distribuidoras. Essa liminar, o governo pode derrubar a qualquer momento. Ainda que ele não consiga manter o leilão para dia 26, ele vai tentar remarcar”, diz Victor Frota da Silva, diretor sindical eletricitário.

A decisão da Justiça Federal no Rio de Janeiro se baseou em liminar do ministro do Supremo Tribunal Federal Ricardo Lewandowski que determinou que processos de privatização devem ser autorizados pelo Congresso Nacional. A venda das distribuidoras, contudo, já foi aprovada na Câmara e foi encaminhada ao Senado, provando a volatilidade da liminar para a luta contra a privatização da empresa nacional de energia.