Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit

Domingo (21), o Congresso do Partido Social-Democrata da Alemanha (SPD, na sigla em alemão) decidiu apoiar o acordo para formar um governo de coalizão com os conservadores da democracia-cristã da chanceler Angela Merkel. O resultado da votação, que colocava em jogo a liderança de Martin Schulz à frente do SPD, foi apertado, com 56% de apoio às negociações por uma coalizão.

Com esse resultado, a cúpula do partido poderá negociar os termos de uma nova “grande coalizão” com Merkel, repetindo o governo de 2013. A expressão, “grande coalizão”, refere-se ao fato de que o PSD é o maior partido de oposição no Bundestag, o Parlamento alemão.

As negociações para a formação do novo governo serão baseadas em um documento elaborado pela cúpula dos dois partidos em dezembro. Agora, o SPD pressionará a União Democrata-Cristã (CDU) para ceder em partes de seu programa de governo. Caso os dois partidos cheguem a um acordo para começar o governo, que seria o quarto governo Merkel, a coalizão ainda terá que ser votada pela base do SPD, com seus 443 mil membros.

Nesse quadro, o SPD, oposição de esquerda dentro do regime político da burguesia alemã, será responsabilizado por cada ataque neoliberal de Merkel contra os trabalhadores. Uma política que já vem destruindo a força eleitoral do partido, que teve sua pior votação ano passado desde 1949, quando as eleições foram retomadas na Alemanha depois da Segunda Guerra.

Quem está ganhando espaço nessa situação é a extrema-direita, com a Alternativa para a Alemanha, com 12,6% dos votos nas últimas eleições e uma bancada de 94 cadeiras no Parlamento. Mais um governo de coalizão entre as duas principais forças do regime político em crise, com um Parlamento fragmentado, deve reforçar a posição da AfD, que capitaliza a rejeição ao regime de conjunto.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas