Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit

Nesta quinta-feira (22), a maioria do STF, por 7 votos a 4, votou pela admissibilidade do habeas corpus preventivo pedido pela defesa do ex-presidente Lula. Com essa decisão, o tribunal deve discutir o mérito do pedido. A sessão foi suspensa e adiada para o dia 4 de abril, dia da próxima sessão do STF.

Com a decisão de adiamento da sessão, o advogado de Lula, José Roberto Bartochio, pediu uma liminar para impedir a prisão de Lula caso seus recursos sejam negados no TRF-4 dia 26. Por 6 votos a 5, os ministros deferiram a liminar. Com isso, Lula não poderá ser preso mesmo depois da decisão do TRF-4, até que o STF julgue o habeas corpus preventivo.

Votaram contra a admissibilidade do habeas corpus, ou seja, contra que o recurso de Lula sequer fosse julgado, os ministros Edson Fachin, Luís Roberto Barroso, Luiz Fux e a presidente do tribunal, Cármen Lúcia. Já os ministros Alexandre de Moraes, Rosa Weber, Dias Toffoli, Ricardo Lewandowski, Gilmar Mendes, Marco Aurélio Mello e Celso de Mello votaram a favor de que o recurso possa ser julgado, decisão que obriga o STF a votar o mérito da questão.

Quanto à liminar, votaram a favor de impedir a prisão de Lula antes do dia 4 os ministros Rosa Weber, Dias Toffoli, Ricardo Lewandowski, Gilmar Mendes, Marco Aurélio Mello e Celso de Mello. Votaram a favor de que Lula pudesse ser preso antes mesmo do julgamento do habeas corpus ministros Edson Fachin, Alexandre de Moraes, Luís Roberto Barroso, Luiz Fux e Cármen Lúcia. Um precedente muito ruim para a continuação do julgamento.

A defesa de Lula argumenta que a prisão antes do trânsito em julgado, ou seja, antes de esgotados todos os recursos, é inconstitucional. O inciso LVII do artigo 5º da Constituição diz que: “ninguém será considerado culpado até o trânsito em julgado de sentença penal condenatória”. Para condenar e prender Lula a tempo de tirá-lo das eleições, continuando a ofensiva contra o PT, contra os trabalhadores e contra a esquerda em geral, a direita golpista está passando por cima de um dos princípios mais básicos do próprio Estado burguês. A presunção de inocência está sendo esmagada, atingindo milhares de pessoas, para que possam prender Lula em um momento conveniente para o golpe.

Não se deve alimentar ilusões de que o STF vá impedir a prisão de Lula. É preciso organizar uma grande mobilização popular contra a prisão de Lula e ampliar a campanha nesse sentido.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas